Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Calor: onda generalizada na Europa vai provocar recordes em vários países revelam meteorologistas

sol

A onda de calor registada na Península Ibérica nos últimos dias vai afectar o norte da Europa ainda esta semana e alastrar-se para o leste, devendo provocar novos recordes em vários países, anunciaram hoje meteorologistas europeus.

O calor que tem afectado Portugal e Espanha fez subir as temperaturas 4 a 5 graus acima do normal para a época, levando a máximas acima de 40ºC.

Durante o resto desta semana, o calor irá provavelmente aumentar mais, para cerca de 7°C acima da média, com as temperaturas máximas a chegar aos 46-47°C em Sevilha, por exemplo, referem os especialistas citados pelo jornal inglês The Guardian.

Segundo a Aemet, a agência meteorológica espanhola, esta onda de calor pode durar nove ou 10 dias, tornando-se uma das três ondas de calor mais longas que a Península Ibérica já experimentou.

À medida que as baixas pressões se desenvolvem no leste da Europa, o calor intenso da Península Ibérica vai incindir também em França, no Reino Unido e em grande parte da Europa central.

De acordo com os especialistas, partes de França, do Reino Unido, da Alemanha e até mesmo dos Países Baixos deverão registar, a partir do meio desta semana, temperaturas acima de 40°C.

No Reino Unido, o recorde histórico de temperatura é de 38,7°C, estabelecido em Cambridge em Julho de 2019.

Por seu lado, as temperaturas em partes do Mediterrâneo central e oriental também subirão para cerca de 10°C acima do normal, ultrapassando a marca dos 40°C em toda a Itália e nos Balcãs.

Na segunda-feira da próxima semana, as temperaturas sazonais acima da média deverão registar-se na Europa central, sul e ocidental, com condições de “ondas de calor generalizadas”, avisam os meteorologistas, apontando o dedo ao anticiclone dos Açores e ao africano.

Em contrapartida, a Escandinávia e o nordeste da Europa apresentam actualmente estados de tempo mais instáveis, com as temperaturas a ficar vários graus abaixo do normal para a época. Mas a situação não deverá durar muito tempo.

Uma previsão avançada pelos especialistas do portal italiano de Internet www.ilmeteo.it refere que o calor escaldante não poupará os países do norte da Europa.

A bolha quente envolverá a Normandia [zona norte de França] com picos inimagináveis para essas latitudes de até 42 graus”, alerta, acrescentando que “em seguida, o calor expandir-se-á para Inglaterra e depois para a Alemanha e, finalmente, para as regiões alpinas de Itália”.

Um modelo meteorológico italiano prevê mesmo que, na terça-feira da próxima semana, dia 19 de Julho, a região de Vale do Pó, no norte de Itália, as temperaturas deverão chegar aos 42ºC, o que significa 20 graus acima da média.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados