Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

INEM activou plano de contingência para fazer face aos constrangimentos da rede Vodafone

inem2

O INEM indicou hoje que “activou no imediato o seu plano de contingência” para fazer face aos constrangimentos verificados com a rede Vodafone, garantido que esteve sempre a funcionar o sistema de emergência médica.

“Face aos constrangimentos verificados ontem [segunda-feira] e hoje na rede Vodafone no acionamento de meios de emergência, o INEM activou no imediato o seu plano de contingência, privilegiando o acionamento através da rede SIRESP e recorrendo aos sistemas redundantes de que dispõe em termos de telecomunicações móveis”, refere o Instituto Nacional de Emergência Médica, numa resposta enviada à Lusa. O INEM assegura que, “deste modo, esteve sempre garantido o funcionamento do Sistema Integrado de Emergência Médica”.

Os constrangimentos verificados no INEM surgiram após o ciberataque à Vodafone, mas o Instituto Nacional de Emergência Médica garante que “todas as chamadas de emergência transferidas pelas Centrais 112, geridas pela PSP, para os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM sempre estiveram asseguradas a 100%, não se verificando qualquer situação anómala”.

O INEM apela ainda “à colaboração dos cidadãos, solicitando que liguem para o Número Europeu de Emergência - 112 apenas em caso de emergência” e que “todas as situações referentes a aconselhamento devem recorrer ao Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde, através do 808 24 24 24, o que permitirá que aos CODU do INEM cheguem apenas chamadas de verdadeiras emergências médicas”.

Em conferência de imprensa, o presidente-executivo da Vodafone Portugal, Mário Vaz, deu conta que serviços essenciais que dependem da rede da Vodafone Portugal, como o INEM e alguns bombeiros foram afectados, mas que já foi recuperado o acesso a serviço voz e dados 3G. Mário Vaz garantiu que a Vodafone continua “a trabalhar de forma muito próxima com a equipa do INEM".

A operadora Vodafone assumiu hoje que foi alvo de um ciberataque na segunda-feira e disse que não tem indícios de que os dados de clientes tenham sido acedidos e/ou comprometidos, estando determinada em repor a normalidade dos serviços.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)