Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Navio hidrográfico da Marinha termina missão de investigação científica ao largo da costa

Marinha navio cientifico

O NRP Almirante Gago Coutinho concluiu, esta sexta-feira, a missão hidro-oceanográfica multidisciplinar que iniciou no dia 21 de Março, realizando mais de cinco mil quilómetros de levantamentos hidrográficos ao longo da costa de Portugal Continental.

Durante os 34 dias de missão, entre Viana do Castelo e Faro, decorreram diversas acções inseridas em projectos e programas de cariz científico que permitem, segundo a Marinha, “contribuir para o conhecimento do oceano”. Esta operação contou com a colaboração diferentes equipas técnicas do Instituto Hidrográfico (IH) e, na primeira fase, de uma equipa científica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O navio realizou um total de 665 horas de navegação e percorreu 3.517 milhas náuticas (o equivalente a 6.513 km). Neste período, a realização de levantamentos hidrográficos representou um total de 424 horas e 2.762 milhas náuticas (o equivalente a 5.115 km) percorridas. Das actividades realizadas destacam-se a recolha de amostras verticais e superficiais de sedimentos do leito marinho e a colheita de amostras à superfície da água para análise de microplásticos. Foram realizadas 213 estações oceanográficas para recolha de sedimentos e 70 colheitas de amostras à superfície da água. Procedeu-se também à recolha e, ao posterior fundeamento, das bóias multiparamétricas de Faro oceânica e Nazaré costeira, no âmbito da manutenção da rede de monitorização do oceano costeiro mantida pelo IH.

Durante esta missão existiu, ainda, a oportunidade para treino e formação interna da guarnição militar, através de palestras, exercícios de combate a incêndios, avarias no leme, exercícios de homem ao mar, lançamento de pirotécnicos, abandono da ponte, e manuseamento de armamento portátil, refere ainda em comunicado a Marinha.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Marinha