Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Portugal continental afectado por depressão 'Lola' a partir da tarde de hoje

IPMA chuva

Portugal continental vai ser afectado a partir da tarde de hoje por períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes, e acompanhados de trovoada devido à passagem da depressão 'Lola', disse à Lusa a meteorologista Patrícia Marques.

De acordo com a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a depressão 'Lola' está situada a oeste do continente, que deverá ser afectado por chuva e trovoada a partir da tarde de hoje e no sábado. “Os distritos mais afetados serão os das regiões norte e centro. Ocasionalmente podem ocorrer aguaceiros que poderão ser de granizo, principalmente no sábado. Está também previsto vento do quadrante sul, soprando até 30 quilómetros por hora, sendo forte nas terras altas com rajadas até 80/90 quilómetros por hora”, adiantou. A meteorologista disse ainda que a chuva deverá manter-se até ao início da próxima semana.

Segundo Patrícia Marques, a depressão 'Lola' já passou pelos Açores e na Madeira os efeitos foram menos gravosos do que os esperados. “Nos Açores, o pior já passou, tendo sido emitidos avisos de vento e agitação marítima. Na Madeira, apesar de ter ocorrido alguma precipitação, foi menos gravoso do que nos Açores. Tem também aviso amarelo de agitação marítima”, disse. Na quinta-feira, foram registadas algumas ocorrências nos Açores relacionadas com queda de árvores e estruturas, mas sem causar vítimas ou danos de maior.

Na sequência da passagem da depressão, a Marinha e a Autoridade Marítima Nacional (AMN) alertaram esta quinta-feira para o agravamento do estado do mar, com ondas que podem atingir os sete metros e vento forte com rajadas superiores a 90 quilómetros por hora. A AMN e a Marinha recomendam a toda a comunidade marítima que adopte um estado de vigilância no mar e nas zonas costeiras e redobrem os cuidados tanto na preparação de uma ida para o mar, como quando estão no mar, devendo também reforçar a amarração das embarcações atracadas e fundeadas. À população em geral, aconselham a que as pessoas permaneçam em casa, em segurança, não se expondo desnecessariamente ao risco.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: IPMA