Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Turismo de Portugal lança plataforma para agilizar reembolsos aos clientes de agências de viagens

aviao

O Turismo de Portugal lançou hoje uma plataforma ‘online’ para agilizar os processos de pagamento dos créditos dos viajantes, devido ao incumprimento de serviços contratados às agências de viagens e turismo.

“No âmbito do programa Simplex+, o Turismo de Portugal disponibiliza a partir de agora uma plataforma ‘online’ que simplifica e agiliza para os viajantes a submissão e tramitação dos processos na Comissão Arbitral, no caso do acionamento do Fundo de Garantia de Viagens e Turismo”, informou a autoridade turística, em comunicado. Desta forma, o processo passa a poder “decorrer de forma totalmente digital”, podendo ser submetido um formulário ‘online’ para o pedido de intervenção da Comissão Arbitral, que aprecia os pedidos de acionamento do Fundo de Garantia de Viagens e Turismo (FGVT).

Aquele fundo, esclareceu o Turismo de Portugal, é “responsável por responder solidariamente pelo pagamento dos créditos dos viajantes, decorrentes do incumprimento de serviços contratados às agências de viagens e turismo”. Após a recepção dos pedidos de acionamento do FGTV, o Turismo de Portugal notifica as agências de viagens e turismo responsáveis para proceder ao pagamento da quantia devida no prazo de 10 dias, antes de acionar o fundo. “Quando haja lugar a pagamento por parte do FGVT, isto é, na ausência do pagamento devido pela agência ou agências de viagens e turismo responsáveis, estas devem repor o montante utilizado, no prazo máximo de 15 dias, a contar da data do pagamento pelo FGVT”, explicou a entidade.

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, citada na mesma nota, saudou o lançamento da plataforma, realçando que “esta solução facilita o acesso aos serviços, melhorando a qualidade e rapidez do atendimento, potenciando uma resposta célere e eficiente às necessidades de pessoas e agentes económicos”. “É um exemplo que deve ser generalizado, tanto quanto possível, em toda a cadeia de valor do turismo, no sentido de reduzirmos custos de contexto e fomentarmos melhores experiências turísticas”, acrescentou.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)