Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Concentração popular este sábado junto ao Centro de Saúde do Bombarral para exigir acesso a médicos de família

Centro de Saude Bombarral

A Comissão de Utentes do Centro de Saúde do Bombarral agendou uma concentração para este sábado, pelas 10h30, junto às instalações deste serviço público, a fim de contestar a actual situação ali vivida e lançar uma petição pela melhoria das condições de saúde no concelho.

Em comunicado enviado ao ALVORADA, a comissão explica que esta iniciativa surge “no decurso do agravamento da situação de saúde no concelho”, uma vez que “a cada dia que passa, as condições do Centro de Saúde do Bombarral pioram e a população deste concelho vê-se limitada e muitas vezes privada do acesso aos cuidados de saúde primários”. A comissão conclui que “o Centro de Saúde do Bombarral, na sua actual situação e organização, não dá resposta à população do concelho”.

Neste momento existem apenas dois médicos de família afectos ao Centro de Saúde, que não podem dar resposta aos mais de 12.000 utentes do concelho. “Semana após semana, assistimos a tentativas falhadas de colmatar uma situação que se agrava por, entre outras coisas, a falta de incentivos para que profissionais de saúde se fixem no concelho, falta de condições para realizar um trabalho com qualidade, e outras dificuldades várias, que vão desde a excessiva carga horária, a equipas com poucos profissionais, e à falta de materiais e meios para dar resposta às necessidades dos utentes”, adianta ainda a comissão popular.

Este movimento denuncia ainda que após vários meses de contestação dos utentes, por dificuldades em marcar consultas, mesmo que com outro médico que não o de família - uma vez que a maioria das pessoas não tem médico de família atribuído - foi reduzida a marcação de consultas ao serviço telefónico, com excepção das consultas “agudas”, “o que é uma dificuldade acrescida”.

Por outro lado, segundo o movimento, a tentativa de colmatar a falta de profissionais com médicos tarefeiros, a recibos verdes, “tem sido uma fraude”, uma vez que “não resolve o problema de fundo e cria uma enorme instabilidade e rotatividade nos profissionais e nos utentes”. Além disso, a contratação, nestes moldes, “é paga muitas vezes a preço de ouro, o que é mais uma falta de respeito para com os outros profissionais que fazem parte do quadro”. “Esta situação perverte completamente o objectivo dos cuidados de saúde primários e destrói o papel do médico de família, tal como foi pensado”, critica a comissão.

Não se conformando com a situação vivida no Centro de Saúde do Bombarral, a comissão de utentes exige que a actual situação “seja rapidamente revertida e solucionada”, sendo “fundamental a colocação de médicos, enfermeiros e funcionários em número suficiente no concelho”. Agindo em defesa do Serviço Nacional de Saúde, defende ainda a organização desta concentração que é necessário garantir meios técnicos e condições de trabalho aos profissionais do Centro de Saúde. “Agora, mais do que nunca, é urgente garantir o funcionamento do Centro de Saúde, e dar resposta aos utentes do concelho. Não o fazer é assumir que se vai deixar adoecer e morrer muitas pessoas”, alerta a comissão.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)