Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Município de Torres Vedras lança plano de rearborização do concelho com incentivos para proprietários

arvore torres

A Câmara Municipal de Torres Vedras aprovou hoje um programa de incentivo à reconversão da floresta e de arborização de terrenos incultos no concelho com a plantação de 67 mil espécies autóctones nos próximos cinco anos. Trata-se de um programa inovador entre os 12 municípios que integram a OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste.

O Programa ‘Floresta nas Linhas’ tem como finalidade apoiar a reconversão de povoamentos florestais mal-adaptados e a arborização de terrenos incultos com espécies autóctones, assim como a beneficiação dos povoamentos já existentes, refere a proposta, a que a agência Lusa teve acesso. A edilidade torriense prevê nos próximos cinco anos a arborização ou rearborização de 125 hectares com a plantação de 67 mil espécies, como carvalhos, sobreiros, pinheiros mansos e freixos, sobretudo em áreas abrangidas por faixas de gestão de combustível.

Com este incentivo, a autarquia pretende mitigar os efeitos das alterações climáticas, aumentar a capacidade de armazenamento de carbono no território, promover uma gestão mais sustentável da floresta e torná-la mais resistente aos incêndios, contribuindo assim para a economia local. No concelho, 18 mil hectares são de utilização agrícola e quase 10 mil são floresta, o que representa 69% da área total do concelho, enquanto os terrenos incultos ocupam 17% do território. Ao nível das espécies florestais, o eucalipto é a mais representativa, com uma ocupação superior a 85%, seguindo-se o pinheiro bravo (8,8%) e outras espécies arbóreas (2%).

O programa vai ter um orçamento de 20 mil euros anuais para apoiar cidadãos e empresários, através de apoio técnico, fornecimento de árvores e arbustos de espécies autóctones, incentivo à manutenção na instalação de povoamentos ou à beneficiação de outros já existentes. Nos casos de instalação de povoamentos florestais, durante cinco anos, o município vai atribuir um apoio de 100 euros por hectare, nos primeiros três anos, e de 75 euros por hectare, nos dois anos seguintes. Em relação à beneficiação de áreas florestais, os apoios são de 200 euros por hectare nos três primeiros anos e de 150 nos dois últimos.

Durante cinco anos, com este programa, o município torriense prevê contribuir para apoiar a instalação de 100 hectares de novos povoamentos florestais e para a beneficiação de 25 hectares de floresta autóctone já existentes.

Recorde-se que o Município de Torres Vedras promoveu há alguns meses uma operação de transplantação e substituição das árvores que se encontravam na Rua António Leal d'Ascensão, no troço compreendido entre a Rua Teresa de Jesus Pereira e a rotunda junto ao Centro de Apoio ao Empresário da Região Oeste - CAERO, na cidade. Os freixos foram transplantados para a margem do Rio Sizandro, para o troço entre o acesso à Variante Poente e a Ponte de São Miguel, junto ao parque de estacionamento da Expoeste (na foto), pelo impacte que estavam a ter nos pavimentos e infraestruturas subterrâneas. Foram substituídos por exemplares da espécie árvore-de-júpiter. Foi também uma operação de cariz ambiental que não é comum registar-se na nossa região, tendo o processo de retirada e transporte sido efectuado por uma empresa especializada da área da silvicultura.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)