Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Edifício da ESAD das Caldas da Rainha classificado monumento de interesse público

ESAD CR

O Ministério da Cultura classificou como monumento de interesse público o edifício pedagógico 1 da Escola Superior de Artes e Design (ESAD) das Caldas da Rainha e fixou uma zona especial de protecção na sua envolvente.

O edifício, cujo projecto foi elaborado entre 1992 e 1993 pelo arquitecto Vítor Figueiredo e distinguido pelo Prémio CECIL de Arquitectura 1998, “constitui um dos passos mais marcantes da sua obra” e é uma “obra de referência na história da arquitectura portuguesa contemporânea”, é referido na portaria publicada em Diário da República.

O mesmo documento explica que Vítor Figueiredo “soube contrapor a massa tendencialmente horizontal dos edifícios à verticalidade do pinhal envolvente", criando, assim uma nova polaridade entre a natureza e o imóvel e deu uma “grande unidade formal e estética” ao conjunto arquitectónico. “A utilização criteriosa dos materiais, com predomínio do betão aparente, contribui igualmente para definir uma modernidade racional que se alia a um certo sentido poético, reforçado pela presença do pinhal, que filtra a luz reflectida no branco omnipresente”, é ainda acrescentado.

A classificação do edifício tem em conta o carácter matricial do bem, o génio do respectivo criador, o seu valor estético, técnico e material intrínseco e a sua concepção arquitectónica, urbanística e paisagística.

A zona especial de protecção engloba a implantação do edifício e a envolvente urbanística e paisagística, sendo situado no centro de um pinhal, “destacando-se a íntima relação e articulação entre este elemento natural e o construído”. A sua fixação “visa tanto preservar a totalidade dos edifícios” da ESAD, como a envolvente arbórea circundante, salvaguardando o seu enquadramento, as características fundamentais do lugar e as perspetivas da sua contemplação e fruição, esclarece a portaria do Ministério da Cultura.

Neste sentido, são impostas restrições, como a proibição de obras de alteração que alterem a volumetria existente e a preservação dos edifícios correspondentes ao antigo Hospital de Santo Isidoro, bem como a envolvente arbórea circundante. Só é permitida a reflorestação e a infraestruturação, designadamente ao nível de iluminação e de acessos ao imóvel, “no sentido de fazer prevalecer a relação” entre o edifício e a sua envolvente natural, “acautelando a salvaguarda do seu enquadramento”.

A Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha é uma das cinco escolas integradas no Instituto Politécnico de Leiria.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: IPL