Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Empresas convidadas a pagar bolsas a alunos do Politécnico de Leiria

ESTM

Empresas da região de Leiria estão a ser convidadas a pagar bolsas a alunos do Politécnico de Leiria no âmbito da iniciativa ‘Bolsas + Indústria’, que junta aquele estabelecimento de ensino e as associações empresariais Nerlei e Cefamol.

Segundo informação enviada à agência Lusa pela Associação Empresarial da Região de Leiria (Nerlei), “o período para manifestação de interesse em participar na edição de 2021/2022 abre hoje”, sendo que as empresas interessadas devem inscrever-se em https://maisindustria.ipleiria.pt/ até 7 de Fevereiro, indicando o curso e ano que pretendem premiar.

“Os estudantes serão seriados no início do segundo semestre, considerando o mérito e as áreas de formação com interesse expresso pelas empresas aderentes”, referiu a Nerlei, explicando que “as experiências de imersão em contexto empresarial e o desenvolvimento de projectos poderão ter início em Abril”.

A iniciativa ‘Bolsas + Indústria’ surge de um protocolo firmado em 2013 entre Politécnico, Nerlei e Associação Nacional da Indústria dos Moldes (Cefamol).

O documento estabelece formas de cooperação para o aproveitamento recíproco das potencialidades científicas, técnicas e humanas das três entidades. “No âmbito deste protocolo são desenvolvidas actividades conjuntas que visam proporcionar aos estudantes o contacto mais próximo com o tecido empresarial desde o primeiro ano, através da formação em contexto de trabalho e do desenvolvimento de projectos em parceria com as empresas, colocando em prática os conteúdos programáticos das unidades curriculares lecionados ao longo do seu curso”, esclareceu a Nerlei. O acordo pretende, igualmente, “estabelecer uma aproximação entre as indústrias, os estudantes, professores e investigadores, criando-se sinergias de transmissão de conhecimento entre o meio empresarial e o meio académico que potenciem a investigação e a inovação”.

Este protocolo tem três dimensões: formação em contexto empresarial, partilha e valorização de conhecimento, e responsabilidade social. É nesta última que se integra a iniciativa ‘Bolsas +Indústria’, permitindo a atribuição de bolsas aos melhores estudantes. “Financiadas pelo tecido empresarial da região, permitem aos estudantes do Politécnico de Leiria um conhecimento do mercado de trabalho, potenciando uma futura integração nesta região de mão-de-obra qualificada e consciente da realidade do mercado, enquanto aumentam a proximidade entre as indústrias produtivas, transformadoras ou de serviços e a academia, potenciando a partilha e valorização do conhecimento assim como a inovação e a capacidade competitiva destas empresas”, destacou a associação empresarial.

Actualmente, existem três modalidade de apoio, Bolsas de Estudo em Licenciatura, Programa Mestrados + Inovação e Programa de ‘labelling’, em que é apoiada a remodelação de quartos nas residências de estudantes. A Nerlei acrescentou que foram atribuídas 223 bolsas (210 de licenciatura, três de mestrado e 10 relativas à modalidade de ‘labelling’), representando um apoio que ascende a 216 mil euros efetuado por 62 empresas da região de influência das várias escolas superiores do Politécnico de Leiria. Até à data foram contemplados 14 cursos diferentes no leque de oferta formativa disponibilizada pelo Politécnico.

A vice-presidente do Politécnico de Leiria Ana Sargento disse à Lusa que o programa, que se mantém há quase 10 anos, apresenta “resultados de sucesso, quer para estudantes, que beneficiam de bolsas e de experiências em contexto empresarial, quer para as empresas, que têm um mecanismo para conhecer os estudantes e dar-lhes a conhecer o mundo empresarial”. “Para as empresas, é uma oportunidade de conhecer a mentalidade dos estudantes, para o Politécnico é mais um favtor de estímulo ao sucesso académico dos estudantes”, declarou Ana Sargento, destacando, ainda, que Nerlei e Cefamol “prestam um serviço importante às suas associadas” quando um dos “problemas é a falta de mão-de-obra, pessoas, talento, técnicos”.

A vice-presidente do Politécnico de Leiria espera nesta edição “um número maior de empresas a oferecerem bolsas e uma maior abrangência das escolas”, num total de cinco: Artes e Design, Turismo e Tecnologia do Mar, Saúde, Tecnologia e Gestão, e Educação e Ciências Sociais. “Gostaríamos de ter bolsas para alunos de todas as escolas”, acrescentou Ana Sargento.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados