Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Torres Vedras: ligação rodoviária da A8 à área empresarial das Palhagueiras vai custar sete milhões

A8

O Município de Torres Vedras vai receber sete milhões de euros do PRR - Plano de Recuperação e Resiliência para construir a ligação rodoviária entre a autoestrada A8 e a área empresarial das Palhagueiras, onde estão localizadas diversas centrais hortofrutícolas. O contrato de financiamento é assinado esta sexta-feira entre este município oestino e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, gestora dos fundos europeus.

A obra visa “contribuir para reforçar a competitividade territorial, promover a atracção e fixação de empresas, favorecendo um desenvolvimento mais equilibrado do tecido produtivo, uma reindustrialização desconcentrada no território e uma otimização das cadeias logísticas do país”, segundo o contrato de financiamento, a que a agência Lusa teve acesso.

A ligação rodoviária da A8 à área empresarial das Palhagueiras, na freguesia de A-dos-Cunhados/Maceira, vem melhorar as condições de acesso à autoestrada e promover a ligação à Linha do Oeste, que está a ser modernizada, para escoar produtos de forma mais eficaz e desenvolver a sua capacidade produtiva da região. Contribuindo com melhores condições de circulação e segurança, a via constitui também uma alternativa rodoviária, desviando o tráfego de veículos pesados do centro da vila de A-dos-Cunhados, minimizando assim o risco de atropelamentos, diminuindo o tempo de percurso e contribuindo para a redução de gases de efeito estufa ao diminuir o congestionamento automóvel. É estimada uma redução de tempos de percurso de 25% com a execução desta infraestrutura.

Com o investimento, “são assegurados níveis de circulação de pessoas e mercadorias em termos mais eficientes e económicos, permitindo um melhor recurso a modelos de mobilidade suave, e contribuindo para a otimização do tráfego rodoviário, com condições de segurança superiores e, principalmente, com menores impactos no plano ambiental”, é referido no documento. O projecto, diz ainda Lusa, deverá estar concluído até final de 2025.

O sector da horticultura factura cerca de 500 milhões de euros, emprega entre sete a oito mil trabalhadores quer nas explorações agrícolas, quer nas centrais de processamento e transformação dos produtos, e escoa os produtos para exportação e para os principais mercados nacionais, estima a Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste. A maioria das explorações está concentrada na faixa territorial de Torres Vedras, Lourinhã e Peniche.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)