Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Covid-19: Hospital de Caldas vai ser alargado com construção de módulo e pondera-se o mesmo para Torres

CHO logo

O CHO - Centro Hospitalar do Oeste tem presentemente 101 doentes infectados pelo novo coronavírus internados nas duas enfermarias enfermaria, 35 na Unidade de Caldas da Rainha e 66 na Unidade de Torres Vedras. Em comunicado enviado ao ALVORADA, a instituição informa que “a lotação não está ainda esgotada, encontrando-se, no entanto, perto do limite da capacidade”. A taxa de esforço do CHO no que respeita a camas Covid-19 ultrapassa já os 40%, relativamente às camas não-Covid. Para dar resposta às necessidades urgentes, vai ser construída uma estrutura para alargar o Hospital das Caldas da Rainha e está a ser ponderado o mesmo em relação ao Hospital de Torres Vedras.

Se acordo com a empresa pública, que gere os três hospitais oestinos do Serviço Nacional de Saúde, as últimas semanas têm sido marcadas por uma enorme pressão assistencial e crescente procura de doentes, agravada pela ocorrência de um surto interno na Unidade de Torres Vedras, de surtos com um número muito relevante de infectados em vários Lares da região, bem como pelo efeito do frio extremo registado na generalidade do país. “No que respeita ao internamento não-Covid, a situação é idêntica. “Ao nível dos Serviços de Urgência Covid e não Covid, a situação está presentemente controlada, não se verificando tempos de espera relevantes”, sublinha o CHO.

Contudo, em face da situação pandémica que está a provocar fortes constrangimentos nos hospitais, o CHO adianta ainda que “a pressão referida implicou já a transferências de doentes para hospitais públicos e privados, ao abrigo dos acordos estabelecidos pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT, I. P.), e Ministério da Saúde”. Todavia, em fases anteriores, em que apresentava capacidade instalada disponível, os dois hospitais públicos acolheram de igual forma vários doentes de outros hospitais.

Neste ponto da situação, o CHO destaca também que “dentro das limitações actuais” continua a adoptar medidas que permitam garantir a resposta a doentes Covid-19 e não Covid-19. Recorde-se que, tal como tínhamos noticiado, na passada sexta-feira, na Unidade de Torres Vedras, converteram-se mais 21 camas de enfermarias cirúrgicas para tratamento de doentes Covid-19. Ao longo da última semana, na Unidade de Caldas da Rainha, verificou-se uma nova reorganização, no sentido de reforçar a capacidade da respectiva Área Dedicada ao Atendimento de Doentes Respiratórios (ADR) do Serviço de Urgência Geral, enquanto se aguarda a construção de um edifício modular, que permitirá a respectiva expansão no exterior do hospital. De igual modo, na Unidade de Torres Vedras, está em estudo a expansão da ADR do Hospital de Torres Vedras. Adicionalmente, prevê-se a abertura a breve trecho de uma enfermaria não Covid-19, no Hospital de Peniche.

O Conselho de Administração, presidido por Elsa Baião, enaltece mais uma vez “o esforço e dedicação dos profissionais de saúde do CHOeste, cujas forças não têm faltado neste difícil combate”. “Apela-se à comunidade no sentido de cumprimento rigoroso do confinamento obrigatório e das restantes medidas de segurança preconizadas, minimizando os contágios, sendo este um excelente reconhecimento que poderão efectuar aos nossos profissionais de saúde”, conclui o comunicado.

Texto: ALVORADA