Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Oeste: GNR recupera aves protegidas em cativeiro ilegal e identifica homem pelo delito

GNR Leiria Gralha

Um homem de 57 anos foi identificado por detenção de aves protegidas em cativeiro de forma ilegal, na localidade de Santa Catarina, no concelho de Caldas da Rainha, informou a GNR.

No decorrer de uma acção de patrulhamento, realizada na sexta-feira passada, os militares da guarda “detectaram em gaiolas, num terreno anexo de uma residência, uma gralha preta, Corvus corone, e três pintassilgos, Carduelis carduelis”, precisou a GNR em comunicado.

A gralha foi resgatada e entregue no Centro de Recuperação de Animais Selvagens de Montejunto (CRASM), na Tojeira, no concelho do Cadaval, e os pintassilgos foram libertados e restituídos ao seu habitat natural.

Foram elaborados dois autos de contraordenação, sendo que a infração por detenção de exemplar de gralha preta é punível com uma coima no valor máximo de 6.487 euros e a detenção de exemplares de pintassilgo é punível com uma coima no valor máximo de 3.740 euros.

O CRASM já tinha recebido este mês da GNR um exemplar da espécie bufo-real, na localidade de Tremoceira, no concelho de Porto de Mós, segundo informou na altura o Comando Territorial de Leiria. De acordo com a GNR, após o alerta de um popular, militares “recolheram o exemplar da espécie bufo-real ‘Bubo bubo’, que se encontrava com uma asa partida e incapacitado de voar”. “A ave foi entregue na Ecoteca de Porto de Mós, para posterior encaminhamento para o Centro de Recuperação de Animais Selvagens, em Montejunto”, lê-se no comunicado da GNR.

Texto: ALVORADA
Fotografia: GNR