Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Oeste: Prémios BPI ‘la Caixa’ 2020 contemplam instituições de Óbidos e de Peniche

Premio BPI La Caixa

Duas instituições da região Oeste figuram entre as entidades contempladas este ano no âmbito da segunda edição do Prémio BPI ‘la Caixa’ Infância 2020 anunciou a organização, sendo atribuído um total de 51.800 euros: Casa do Povo do Concelho de Óbidos; e Centro Solidariedade e Cultura de Peniche. António Barreto, presidente do júri deste prémio concedido pelo banco BPI e a Fundação ‘la Caixa’, salienta a importância do trabalho das instituições premiadas para enfrentar as novas dificuldades causadas pela pandemia. São 750 mil euros para apoiar 31 projectos que fomentem o desenvolvimento integral e a saúde de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, bem como o reforço de competências parentais, revela um comunicado enviado ao ALVORADA.

São cinco os Prémios BPI ‘la Caixa’, no valor de 3,75 milhões de euros, que apoiam projectos em diversas áreas de intervenção social que abrangem os mais novos (Infância), os jovens e adultos (Solidário), os mais velhos (Seniores), a deficiência ou incapacidade permanente (Capacitar) e os meios rurais (Rural). Em 24 edições concluídas, estes prémios entregaram cerca de 16 milhões de euros para a implementação de 539 projectos de inclusão social em Portugal. Os projectos apoiados já ajudaram mais de 120.000 portugueses.

Os projectos distinguidos revelam várias respostas sociais, ainda mais prementes dado o agravamento do contexto social provocado pela crise pandémica, onde se incluem: promoção do sucesso escolar, desenvolvimento de competências comportamentais e digitais, actividades extracurriculares, capacitação parental e de todo o agregado familiar, terapias de desenvolvimento precoce e incentivo à leitura, entre outros.

A Casa do Povo do Concelho de Óbidos vai receber 29.000 euros para prestar um serviço especializado e individualizado de apoio e aconselhamento, no domicílio a famílias com menores a seu cargo, e/ou que apresentem factores de vulnerabilidade, com uso de estratégias para uma parentalidade positiva. Já o Centro Solidariedade e Cultura de Peniche foi contemplado com 22.800 euros para a criação de uma Oficina Psicoeducativa, através da intervenção na orientação vocacional precoce, passível de desenvolver e promover competências de combate aos comportamentos de risco junto de crianças.

A presidir o júri deste prémio pela segunda vez, António Barreto enalteceu “o trabalho das instituições premiadas, desenvolvido em condições ainda mais difíceis devido aos diferentes condicionalismos provocados pela crise da pandemia Covid-19”. No total, nesta segunda edição, as 146 candidaturas foram avaliadas tendo em conta os critérios de Qualidade, Sustentabilidade e Relevância dos projectos. O júri analisou e selecionou os projectos que considerou terem maior impacto social.

Os prémios inserem-se na política de responsabilidade social do BPI e são financiados pela Fundação ‘la Caixa’, entidade que desde 2018 impulsiona iniciativas de carácter social, científico e cultural. No total são cinco os Prémios BPI ‘la Caixa’, no valor de 3,75 milhões de euros, atribuídos anualmente a fim de apoiar projectos de instituições privadas sem fins lucrativos.

Em 2019, o BPI e a Fundação ‘la Caixa’ contribuíram com um total de mais de 20 milhões de euros para apoiar as áreas da Ciência, Educação, Cultura e Solidariedade Social, tendo esta última representado perto de metade do total das verbas distribuídas em Portugal. Nos últimos dez anos, em 24 edições concluídas, estes prémios entregaram cerca de 16 milhões para a implementação de 539 projectos de inclusão social em Portugal. O BPI e a Fundação ‘la Caixa’ estabeleceram um acordo de colaboração para o desenvolvimento de projectos de carácter social e cultural em Portugal após a entrada do BPI no grupo CaixaBank.

Texto: ALVORADA