Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

COVID-19: OesteCIM apela aos munícipes oestinos a seguir recomendações oficiais para conter o novo coronavírus

oestecim

A OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste, considerando o actual estado de pandemia decretado pela OMS - Organização Mundial de Saúde devido à propagação do vírus Covid-19, apela aos munícipes dos 12 concelhos que “ponderem a estrita relevância das suas deslocações aos serviços de atendimento municipais, privilegiando o acesso aos mesmos através de contacto telefónico ou correio electrónico”.

Num comunicado de imprensa enviado esta tarde ao ALVORADA, o autarca alenquerense Pedro Folgado, presidente do Conselho Intermunicipal da OesteCIM, é a voz dos presidentes de câmara que “pedem aos oestinos que sigam as recomendações da Direcção-Geral da Saúde, de forma a que todos possamos contribuir para extinguir esta pandemia” provocada pelo novo coronavírus

Tal como tínhamos noticiado esta quinta-feira, o Conselho Intermunicipal da OesteCIM esteve reunido ao longo do dia de ontem nas Caldas da Rainha, numa sessãoque teve como objectivo “a harmonização de medidas preventivas de contingência para reduzir riscos de exposição e contágio face à situação epidemiológica” provocada pelo Covid-19. “Em cada um dos 12 municípios poderão ser implementadas medidas organizativas de prestação de serviço público que mais se adequem ao actual contexto”, sublinha Pedro Folgado.

Como resultado desta reunião dos autarcas oestinos com as diferentes Autoridades Locais de Saúde da Região Oeste, foi concertada a implementação de várias medidas nos diversos concelhos, que passam pela suspensão do funcionamento de instalações municipais como piscinas, pavilhões, bibliotecas, auditórios, galerias, mercados, feiras, lares ou centros de convívio sénior, cine-teatros e centros culturais. Foi também decretada a suspensão de espectáculos, conferências e reuniões alargadas. Há ainda condicionalismos de funcionamento de serviços municipais, tais como museus, espaços de turismo e balneários.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Sofia de Medeiros/ALVORADA (arquivo)