Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Depressão ‘Elsa’ registou cerca de 120 chamadas de ajuda no concelho da Lourinhã mas sem danos maiores a assinalar

mautempo

A depressão ‘Elsa ‘que tem afectado o território nacional nos últimos dias, originou durante o dia de ontem mais de uma centena de chamadas de pedidos de ajuda no concelho da Lourinhã para o Serviço Municipal de Protecção Civil, Bombeiros Voluntários e Guarda Nacional Republicana.

O mau tempo começou a manifestar-se no nosso concelho por volta das 14h30. “Desde essa hora tivemos sensivelmente 120 ocorrências relacionadas sobretudo com os ventos fortes: quedas de infraestruturas, postes de telecomunicações, árvores e de sinalização, por todo o concelho”, revelou ao ALVORADA Daniel Neves, do Serviço Municipal de Protecção Civil (SMPC) da Lourinhã.

A área mais afectada com a forte precipitação que se fez sentir foi a zona do Nadrupe, onde galgou um efluente do Rio Grande e a água começou a correr na Estrada Nacional 361 Lourinhã-Bombarral que foi depois cortada ao trânsito. Registaram-se também ocorrências de água e lama na Estrada Nacional 8-2 Lourinhã-Torres Vedras e na 247, junto a Casal Novo, assim como na Estrada Municipal que liga Vale Vite a Toledo e, ainda, a EN 361 e a 261-1 que liga Lourinhã ao Bombarral e aos Campelos esteve cortada devido à inundação, entre a rotunda de Miragaia e Ribeira de Palheiros.

Segundo Daniel Neves, entre as 17h00 e as 20h00 “recebemos muitas chamadas de vários munícipes a pedir ajuda, tendo em conta o estado de alarmismo que esta tempestade criou nas pessoas, apesar de termos difundido várias informações no sentido das mesmas evitarem comportamentos de risco e adoptarem medidas preventivas”.

Para o terreno foram empenhados nove militares da GNR, 12 bombeiros, três operacionais do SMPC, dois autarcas do executivo camarário, duas brigadas do município (equipas operacionais das obras municipais), o piquete das águas e todos os meios das juntas de freguesia. Esteve ainda no terreno uma equipa da empresa pública Infraestruturas de Portugal, tendo em conta que grande parte das situações que condicionaram o trânsito e fecharam as vias rodoviárias são da responsabilidade desta entidade estatal.

Apesar de se terem registado mais de uma centena de ocorrências no concelho da Lourinhã, não há desalojados nem vítimas ligeiras ou graves. A situação normalizou por volta das 20h00.

Contudo, às 21h00, e em consequência da passagem da depressão ‘Elsa’, a Comissão Municipal de Protecção Civil da Lourinhã reuniu com o objectivo de analisar todas as situações, assim como avaliar os potenciais riscos para pessoas e bens nas próximas horas. Estiveram presentes na reunião vários agentes da protecção civil, nomeadamente o Destacamento Territorial de Torres Vedras e o Posto Territorial da Lourinhã da GNR, Segurança Social, BVL, Capitania do Porto de Peniche e todos os presidentes de junta de freguesia do concelho. Em cima da mesa esteve a activação do Plano Municipal de Emergência, tendo em conta as previsões meteorológicas para as próximas 24 horas, o que acabou por acontecer.

Depois da depressão ‘Elsa’ vem a caminho de Portugal a depressão ‘Fabien’ e as regiões Norte e Centro deverão continuar a ser as mais afectadas, onde é esperada chuva e fortes rajadas de vento que podem oscilar entre os 90 e os 125 quilómetros por hora. Está também prevista uma acentuada agitação marítima, em especial no litoral norte. O tempo deve começar a melhorar a partir de domingo.

Texto: Sofia de Medeiros/ALVORADA
Fotografia: Sofia de Medeiros/ALVORADA (arquivo)