Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa vai finalmente requalificar antiga Colónia Balnear da Areia Branca

coloniacastelobranco

A Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) vai lançar, em Setembro, um concurso de ideias para o projecto de recuperação do edifício da Colónia Balnear de Castelo Branco da Areia Branca, junto à Praia do Areal, no concelho da Lourinhã. “O investimento para a requalificação do imóvel deverá rondar valores entre os 3,8 e os 4,2 milhões de euros. Vamos dar uma vida nova àquela infraestrutura”, afirmou hoje à agência Lusa o presidente do conselho intermunicipal da CIMBB e da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo.

A CIMBB, com o apoio da Ordem dos Arquitectos, tem o processo em andamento para o lançamento de um concurso de ideias para a elaboração de um projecto para o futuro daquela infraestrutura, cujo lançamento vai decorrer durante o próximo mês. “A colónia balnear da praia da Areia Branca é um activo importante que a CIMBB tem. Está devoluto e é um processo que se tem vindo a arrastar. O processo está a ser articulado com a Câmara da Lourinhã e a CIMBB reconhece o próprio empenho do município para resolver a questão da intervenção”, sublinhou João Lobo.

O autarca salientou que a alteração ao Plano Director Municipal (PDM) do Município da Lourinhã, “acautelou a questão do edificado da própria colónia, dando capacidade para ali se fazer a sua requalificação”. “O concurso vai ser entretanto lançado e depois vai existir um júri, que também vai ter representantes da Ordem dos Arquitectos, da Câmara da Lourinhã e da CIMBB, no sentido de se escolher o projecto vencedor”, sustentou.

Após a requalificação, João Lobo explicou que o objectivo é instalar ali “um equipamento de hotelaria”, tirando partido daquela área litoral e, nomeadamente, da prática do surf. Isto em articulação com uma resposta para os municípios que integram a CIMBB, dando também uma resposta aos jovens e seniores. “É um equipamento de referência que queremos ali ter”, concluiu.

Em 2018, a Câmara Municipal da Lourinhã "exigiu uma solução" para o imóvel, que se encontra "muito degradado” há mais de uma década. O objectivo da autarquia era pôr fim ao impacto ambiental negativo na Praia do Areal causado pelo avançado de degradação daquele imóvel, depois de ter requalificado a praia e de terem sido investidos três milhões de euros na construção de uma colónia de férias da Fundação Júlia e de haver investidores interessados em construir um hotel de charme. O Município da Lourinhã ameaçou mesmo avançar com uma acção judicial para encontrar uma solução, caso não houvesse da parte da CIMBB uma solução de valorização.

No novo PDM da Lourinhã, a Colónia Balnear de Castelo Branco está construída num terreno classificado como urbano, contíguo à praia, e pode vir a ser reabilitada para voltar a abrir como colónia de férias ou reconvertida em empreendimento turístico ou espaço para outro tipo de utilização colectiva.

Inaugurada em 1974 pela extinta Assembleia Distrital de Castelo Branco, a Colónia de Castelo Branco recebeu todos os verões crianças e adolescentes daquele distrito até 2007 e, em 2008, deixou de abrir "por falta de condições na cozinha, refeitório e parque infantil". Desde então tem estado ao abandono e a degradação tomou conta do edifício, com graves infiltrações de água pelo telhado e janelas. A CIMBB, que ‘herdou’ o imóvel após a extinção dos Governos Civis, integra os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)