Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Conselho Supremo da Cruz Vermelha Portuguesa aprova lourinhanense Ana Jorge como nova presidente

Ana Jorge

O Conselho Supremo da Cruz Vermelha Portuguesa aprovou hoje a lourinhanense Ana Jorge, médica-pediatra, como futura presidente da instituição, substituindo no cargo Francisco George, disse à Lusa a secretária-geral da CVP.

Ana Jorge, antiga ministra da Saúde e ex-presidente da Assembleia Municipal da Lourinhã, tendo sido eleita nas últimas eleições autárquicas pelo PS para um novo mandato neste órgão autárquico, foi o nome indicado pelo Governo para presidir à Cruz Vermelha Portuguesa.

Reunidos hoje, em Lisboa, os conselheiros chegaram a consenso em torno de Ana Jorge, nome que irão agora propor ao Primeiro-Ministro António Costa e ao ministro da Defesa Nacional, João Cravinho, para ocupar o cargo de presidente da CVP, uma vez que compete ao Governo homologar a nomeação.

Em declarações à agência Lusa, o presidente cessante, Francisco George, disse estar satisfeito por “não terem surgido divisões no seio da Cruz Vermelha”, garantido que irá continuar a ser voluntário na instituição. “O conselho reunido em segunda sessão, hoje, concordou com a proposta consensual em torno da Dra. Ana Jorge na perspectiva de evitar qualquer fractura na Cruz Vermelha Portuguesa”, declarou Francisco George, que termina agora quatro anos de mandato à frente da instituição.

Francisco George foi eleito presidente nacional da Cruz Vermelha Portuguesa em 26 de Outubro de 2017 depois de uma vida dedicada ao serviço público, que cessou em 20 de Outubro do mesmo ano por limite de idade, quando exercia o cargo de director-geral da Saúde.

Ana Jorge também tem um percurso de quase 40 anos dedicado ao serviço público, tendo sido ministra da Saúde nos XVII e XVIII governos constitucionais e, entre outras funções, presidente da ARSLVT - Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Em declarações na terça-feira à Lusa, ainda como candidata, Ana Jorge afirmou que este é “mais um desafio” na sua longa carreira na área pública. “É mais um desafio grande, mas faço-o com toda a dedicação, com todo o empenho que normalmente costumo colocar naquilo que aceito fazer”, disse Ana Jorge, sublinhando que irá “dignificar, contribuir e honrar os princípios da Cruz Vermelha”.

O presidente nacional é o responsável máximo da Cruz Vermelha Portuguesa, cabendo-lhe "assegurar o prestígio, a manutenção, a sustentabilidade, o desenvolvimento e o progresso da instituição, a qual funciona sob a sua orientação e na sua dependência". Constitui missão da CVP prestar assistência humanitária e social, em especial aos mais vulneráveis, prevenindo e reparando o sofrimento e contribuindo para a defesa da vida, da saúde e da dignidade humana.

Notícia actualizada às 18h02.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Sofia de Medeiros/ALVORADA (arquivo)