Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

GNR deteve na Lourinhã um homem acusado de violência doméstica

GNR 20

A GNR deteve um homem na Lourinhã, de 53 anos, pelo crime de violência doméstica. A detenção foi feita pelo NIAVE - Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas do Comando Territorial de Leiria desta força de segurança. Ouvido hoje pelo Tribunal de Leiria, foi decretada prisão domiciliária. Contudo, segundo a agência Lusa, enquanto não são criadas condições para permanecer em casa com pulseira eletrónica, vai cumprir prisão preventiva num estabelecimento prisional.

Segundo um comunicado da GNR enviado ao ALVORADA, esta detenção ocorreu ontem no âmbito de uma investigação pelo crime de violência doméstica. “Apurou-se que o suspeito havia agredido física, verbal e psicologicamente a sua esposa, uma mulher de 46 anos, durante uma relação de 30 anos. O suspeito, consumidor habitual de bebidas alcoólicas e produtos estupefacientes, tinha vindo a intensificar o seu comportamento violento e agressivo para com a sua ex-companheira, levando a vítima a pôr termo à relação em Março do corrente ano, por não aguentar viver aquele clima de terror”, esclarece a força militar.

O detido já havia sido condenado pela prática do crime de violência doméstica e tinham sido aplicadas como medidas de coação a proibição de aproximação da vítima e dos seus filhos, e, ainda, de os contactar por qualquer meio. Contudo, segundo a GNR, “o agressor persistiu em persegui-la por não aceitar o fim da relação e o abandono da mesma e dos seus filhos da residência familiar, tendo controlado a sua vida diária, os seus percursos diários e vigiado a sua residência actual”.

No decorrer das diligências de investigação, segundo o comunicado, o agressor foi detido em cumprimento de um mandado de detenção judicial, tendo permanecido nas instalações da GNR até ser presente a primeiro interrogatório judicial no Tribunal Judicial de Leiria, hoje, para aplicação de medidas de coação pelo juiz de instrução criminal.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)