Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Direcção do GEAL adapta-se à nova realidade causada pela Covid-19: Museu da Lourinhã volta a reabrir ao público amanhã

museudalourinha

O Museu da Lourinhã vai abrir ao público esta quarta-feira, dia 20, após ter encerrado as portas a 14 de Março devido à situação gerada pela pandemia da Covid-19 e pelo Estado de Emergência. A direcção do GEAL - Grupo de Etnografia e Arqueologia da Lourinhã, associação que detém o Museu da Lourinhã, também não escapou à crise criada pela pandemia, defrontando-se com um rol de dificuldades que a obrigou a avançar para o ‘lay-off’, a 6 de Abril.

Como explicou a presidente da direcção da instituição lourinhanense, Lubélia Gonçalves, foi pedida a renovação do ‘lay-off’, em regime parcial, e neste momento aguarda uma resposta oficial. Dos seis funcionários, apenas três regressam ao trabalho. “Nesta fase é o que nos afigura mais adequado a esta situação de adaptação gradual e progressiva para a realidade que todos nós vivemos”, adiantou a responsável ao ALVORADA.

O Museu da Lourinhã vai abrir ao público nos moldes com adaptações à nova realidade e assegurará todas as condições de protecção e segurança para os funcionários e visitantes. “Neste momento estamos a preparar o espaço e a prepararmo-nos para que as pessoas possam visitar o museu com segurança e sem qualquer tipo de receio”, garante Lubélia Gonçalves.

Numa primeira fase, que ainda não está determinada, a instituição encerra à segunda e terça-feiras para descanso do pessoal. Esta situação criada pela Covid-19 criou no museu um período de suspensão, por um lado em termos de actividades e de receitas, mas por outro lado tem proporcionado “momentos para reflectirmos e pensamos como é que nos vamos adaptar às novas realidades porque a situação do estado de emergência foi uma e voltarmos à actividade mas num contexto que todos sabemos que não é o habitual, obriga naturalmente a pensarmos como é que vamos gerir as coisas e como é que nos vamos posicionar”, destacou a responsável lourinhanense.

Lubélia Gonçalves frisou a incerteza “de como as coisas vão evoluindo”, designadamente no Verão, e a preocupação é “tentarmos fazer leituras de situação o mais correctas possíveis para construirmos cenários e de acordo com a evolução que esta realidade for tendo, termos a capacidade de o mais rapidamente possível nos adaptarmos a esses mesmos cenários que se venham a concretizar”. Os tempos são de incerteza mas “estamos atentos e tentamos ter respostas pensadas para diferentes situações”. Lubélia Gonçalves espera que o Verão venha animar o sector “e que as coisas tomem uma normalidade mais próxima do habitual mas naturalmente que temos que estar preparados para que assim não seja”, concluiu.

As regras de higiene e segurança foram reforçadas para todos e, a partir de amanhã, é obrigatório o uso da máscara, a lavagem regular das mãos e superfícies e o distanciamento social, por exemplo. Neste sentido, o museu recebeu a visita de dois técnicos dos serviços da Protecção Civil e da Higiene e Segurança no Trabalho, do Município da Lourinhã, para verificarem todas as regras e condições em prática. Para uma reabertura em segurança, o museu contou ainda com o apoio do Município da Lourinhã e da União de Freguesias de Lourinhã e Atalaia, com a doação de material de protecção individual. A empresa Casimper, Lda. ofereceu higienizador de pisos e superfícies, álcool gel e dispensadores de parede, que foram colocados ao longo do percurso expositivo e áreas administrativas. "O Museu da Lourinhã agradece a todas estas entidades e amigos, a disponibilidade e prontidão nas respostas e ajuda", refere a instituição em comunicado enviado ao ALVORADA.

Nestes tempos difíceis, o GEAL continua a apelar "ao imprescindível apoio de todos ao Museu da Lourinhã", que se pode traduzir por diferentes acções, como por exemplo, convida a população, em especial todos os lourinhanenses, a (re)visitarem o Museu da Lourinhã. Sugere ainda outras formas de apoio: consignação de 0,5% do IRS ao Museu da Lourinhã, sem qualquer custo para o contribuinte (Modelo 3/ Quadro 11/ Campo 1103 - Instituições Culturais com Estatuto de Utilidade Pública - NIF 501 419 500); oferta de um donativo ao Museu da Lourinhã, com a possibilidade de o fazer ao abrigo da lei do Mecenato Cultural; aumento voluntário excepcional da quota de associado do GEAL, durante o ano de 2020 (la quota mínima é de 1 €/mês); regularização de quotas por parte dos associados que se atrasaram no seu pagamento; convidar um amigo para se tornar associado do Museu da Lourinhã; e aquisição de artigos da loja, através de encomendas por e-mail, referentes a peças das diferentes colecções e a produtos locais (por exemplo: aguardente da Lourinhã, chocolates, doces de fruta, conservas de peixe, etc.).

Texto e fotografia: Sofia de Medeiros/ALVORADA