Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

DIÁSPORA-COVID-19: testemunho de João e Eduarda, de Ribamar, que residem na Alemanha

Alemanha Berlim joao e Eduarda

Como está a viver a Diáspora da Lourinhã este novo tempo, em que o centro das atenções é a pandemia da Covid-19? O ALVORADA iniciou a partilha de testemunhos de vida dos emigrantes lourinhanenses que se encontram espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Neste tempo difícil que todos atravessamos, com uma pandemia que reduz ao máximo o contacto entre todos, queremos desta forma manter bem vivo o que nos une. Queremos contribuir para que quem esteja longe, fique mais perto de nós, na Lourinhã.

Partilhe e, caso tenha algum familiar e amigo que queira que o contactemos, para aqui deixar o seu testemunho, envie-nos mensagem pelo nosso Facebook ou para o endereço electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Fique em segurança. Cuide de si e dos outros!

Este 14º testemunho é de João Cruz e Eduarda Paulo, de Ribamar, que residem em Berlim, na Alemanha. O João, de 32 anos, é engenheiro informático, e a Eduarda, de 31, está em casa a cuidar dos dois filhos menores:

Olá!

Somos o João e a Eduarda, de Ribamar, temos dois filhos, um menino de dois anos e uma menina de oito meses.

Vivemos em Berlim há quase três anos. Temos vivido estes últimos dias com alguma ansiedade, pois a Alemanha tem sido um dos países mais afectados pela actual pandemia.

Como a maior parte das pessoas, não temos saído de casa (a não ser para o essencial), apesar de ainda haver algum movimento nas ruas.

Com escolas e creches fechadas, o João a trabalhar a partir de casa, têm sido dias de adaptação a novas rotinas. Entre refeições, trocas de fraldas, choradeiras e colinhos, inventamos brincadeiras, pintamos, fazemos ginástica e, principalmente, aproveitamos os dias de sol para ir à varanda: é Primavera e está na hora da sementeira, o mais pequeno ajuda e logo batem as saudades da nossa terra e do nosso quintal português.

Que bom seria poder lá estar estes dias...