Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

COVID-19: Câmara Municipal da Lourinhã apela a voluntários para colaborarem na resposta à população

Proteccao Civil Lourinha 1

A Câmara Municipal da Lourinhã apela à inscrição de voluntários - preferencialmente profissionais de saúde - para eventual colaboração na resposta à situação de emergência pandémica, decorrente da activação do Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil da Lourinhã. Em comunicado emitido esta tarde, o presidente João Duarte Carvalho sublinha que todos os interessados podem inscrever-se através do endereço electrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., enviando o nome, contacto telefónico, e especialidade na área profissional. Para qualquer esclarecimento pode ser utilizado, como contacto, o número de telefone do PROCIV24H - 919 996 410.

O comunicado da autarquia esclarece que as clínicas que realizam ecografias a mulheres grávidas, poderão manter em exclusivo este serviço, “cumprindo escrupulosamente com as todas as recomendações da Direcção-Geral de Saúde, relativamente aos estabelecimentos de comércio e serviços”. As clínicas dentárias irão continuar com o atendimento encerrado, “sendo que apenas efectuarão atendimentos urgentes, e procedimento definido pela Delegada de Saúde da Lourinhã".

O Município da Lourinhã, na sequência do Plano Nacional de preparação e resposta à pandemia Coronavírus - COVID-19, da activação do Plano Municipal de Emergência da Protecção Civil, e das orientações emanadas pela Direcção-Geral de Saúde, decidiu ainda a inventariação e reserva imediata de EPI’s - Equipamentos de Protecção Individual no concelho: luvas, desinfectantes, óculos de protecção, fatos de protecção, ‘kits’ fitofármacos e hipoclorito de sódio. Paralelamente foi determinada a inventariação de equipamentos mecânicos de pulverização (de alta pressão), “para eventual utilização em situações de descontaminação diversa, bem como disponibilidade dos respectivos operadores”.

Foi também integrada a Pousada da Areia Branca no Plano Municipal Operacional COVID -19 para eventual acolhimento operacional e logístico dos meios de reforço a serem atribuídos pelo Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa da Autoridade Nacional de Protecção Civil, num total máximo de 50 operacionais e 15 veículos, sem recurso às instalações do Quartel dos Bombeiros Voluntários da Lourinhã.

Os agentes que integram o dispositivo de segurança e protecção civil (executivo municipal, executivo das juntas de freguesia e serviços municipais destacados), estarão identificados na via pública com colete, cartão de identificação e dístico. Foi também definido um horário diferenciado para os profissionais de saúde, bombeiros, forças de segurança e demais agentes de protecção civil efectuarem as suas compras. Foram seleccionados os seguintes estabelecimentos comerciais da Lourinhã com a definição de horários:

Intermarché: 8h30/9h30 - Os profissionais devem ir identificados. A entrada na loja é efectuada pela porta lateral junto à pastelaria, devem dirigir-se à recepção e identificar-se. Pingo Doce: 9h00/10h00 - Os profissionais devem ir identificados. Lidl: 9h00/10h00 (a aguardar decisão). Meu Super: 9h30/10h00 - os profissionais devem ir identificados.

No âmbito das recomendações, a Câmara Municipal da Lourinhã destaca que o acesso a farmácias e a estabelecimentos de venda de produtos de primeira necessidade deve fazer-se, preferencialmente, por postigo ou à porta, “de forma ordeira e apenas em situações de extrema necessidade, respeitando sempre o distanciamento social, bem como as orientações de cada estabelecimento”.

Estas medidas entraram já em vigor e prolongam-se até ao dia 30 de Abril, sendo sujeitas à avaliação permanente, em articulação com as orientações das autoridades de saúde. “Reitera-se a necessidade impreterível de se reduzir os contactos sociais ao estritamente necessário, de manter uma higiene vigilante, afastando as mãos da boca, nariz e olhos. Todos somos agentes de saúde pública!”, alerta a edilidade.

Texto: ALVORADA