Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Câmara de Lisboa afirma que preparação da Jornada Mundial da Juventude está “em bom curso”

JMJ em Lisboa

A Câmara Municipal de Lisboa afirmou hoje que o trabalho para acolher a Jornada Mundial da Juventude em 2023 está a decorrer “em bom curso”, assegurando que a preparação do evento “é uma prioridade”, inclusive foi criada uma ‘task force’.

“Estamos a trabalhar incessantemente nos estudos sobre os estudos feitos, para termos também as questões de segurança, estamos a lançar os concursos, a obra vai começar”, afirmou a vereadora com o pelouro da Jornada Mundial da Juventude 2023, Laurinda Alves (independente eleita pela coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança), referindo que quando o actual executivo municipal tomou posse, em 18 de Outubro de 2021, “ainda havia pouca coisa feita”.

Na sessão plenária da Assembleia Municipal de Lisboa, a propósito da apreciação da informação escrita do presidente da Câmara, Carlos Moedas (PSD), a deputada do PS Carla Madeira questionou o “vazio” sobre o que está a ser feito para preparar a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), tentando saber se se tratou de “omissão por lapso” ou se “deixou de ser uma prioridade para o executivo”.

Em resposta, Carlos Moedas garantiu que a JMJ “é uma prioridade para cidade”, com Laurinda Alves a assumir o lapso relativamente à ausência de qualquer referência ao evento na informação escrita apresentada pelo presidente da Câmara de Lisboa. Segundo a vereadora, o trabalho que está a ser feito é “tão complexo”, que “seria exaustivo” detalhar.

A vereadora disponibilizou-se, contudo, para fornecer relatórios quinzenais e, depois, numa fase mais próxima do evento, relatórios semanais sobre a preparação da JMJ, no sentido de envolver todos no processo. “À semelhança do que foi feito com uma ‘task force’ de vacinação, com o vice-almirante Gouveia e Melo, também nós sentimos essa necessidade de ter o nosso Gouveia e Melo: é um engenheiro da Câmara Municipal de Lisboa, Jorge Oliveira e Carmo”, referiu Laurinda Alves, indicando que estão a ser feitos estudos e a ser lançados concursos para a realização de obras.

A autarca independente no executivo municipal reforçou que estão a ser analisadas “todas as questões de segurança, que aliás preocupam também a Santa Sé”, dando como exemplo o aterro e as questões do biogás e dos lixiviados. “Essa ‘task force’ está muito, muito, activa, está muito dinâmica e está tudo em bom curso”, acrescentou a vereadora, insistindo que o trabalho para a preparação do evento deve incluir todos. “Temos de estar todos juntos, isto vai ser a nossa cidade inundada com mais de um milhão de estudantes, é um tempo histórico, é um marco para qualquer um de nós, portanto, está tudo muito consciente de que estamos a funcionar em contrarrelógio”, salientou.

Neste âmbito, o executivo municipal vai promover na quarta-feira, antes da reunião de câmara agendada para as 15h00, mais uma visita ao local onde será realizada a JMJ em 2023, na freguesia lisboeta do Parque das Nações, junto ao Rio Trancão, envolvendo também o concelho de Loures, em que está prevista a presença do Presidente da República, do presidente da Câmara de Lisboa, do novo embaixador junto da Santa Fé, do engenheiro Jorge Oliveira e Carmo e do o ex-vereador da Câmara de Lisboa José Sá Fernandes.

Em 28 de Julho de 2021, o Governo nomeou o então vereador da Câmara de Lisboa José Sá Fernandes como coordenador do grupo de projecto para a JML. Além da organização do evento católico, o grupo de projecto "vai acompanhar e preparar a requalificação urbanística e a valorização ambiental e ecológica da zona ribeirinha onde actualmente se localiza o Complexo Logístico da Bobadela, cujos terrenos começarão a ser desocupados para efeitos da realização da JMJ 2023".

A JMJ é o maior evento organizado pela Igreja Católica, tendo o anúncio da escolha de Lisboa para receber esta edição sido feito em 27 de Janeiro de 2019, na Cidade do Panamá. Inicialmente prevista para Agosto de 2022, a pandemia de Covid-19 determinou o adiamento da JMJ um ano.

Portugal será o segundo país lusófono, depois do Brasil, a acolher uma Jornada Mundial da Juventude, criada em 1985 pelo Papa João Paulo II (1920-2005). O Papa Francisco é esperado em Portugal no Verão de 2023, para o encerramento da JMJ.

Texto: ALVORADA com agência Lusa