Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Crise/Energia: Portugal aprova limite ao preço do gás para reduzir factura da electricidade

Duarte Cordeiro Lusa 13052022

O Governo aprovou hoje o mecanismo ibérico para limitar o preço do gás para a produção de electricidade, que irá permitir reduzir a factura da electricidade às famílias e empresas, anunciou o ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro.

O Governo aprovou hoje uma medida inédita [...], um mecanismo que tem um conjunto de objectivos muito claro: limitar a escala dos preços, proteger quem está mais exposto e em terceiro lugar socializar os custos e benefícios”, disse hoje aos jornalistas o ministro do Ambiente e da Acção Climática, Duarte Cordeiro, em conferência de imprensa, no final da reunião de Conselho de Ministros extraordinário, que ocorreu no mesmo dia da reunião dos ministros espanhóis, que aprovaram também o mecanismo. "Obteremos uma redução muito significativa do preço da electricidade, gerando assim poupanças para as famílias e empresas", declarou o governante.

No final de Abril, os governos de Portugal e Espanha chegaram, em Bruxelas, a um acordo político com a Comissão Europeia para o estabelecimento de um mecanismo temporário que permitirá fixar o preço médio do gás nos 50 euros por MWh. Esta medida permitirá dissociar temporariamente os preços do gás e electricidade na Península Ibérica, que beneficiará assim de uma exceção, tal como acordado no Conselho Europeu de Março.

Previsto está que o mecanismo tenha uma duração de cerca de 12 meses e permita fixar o preço médio de gás em cerca de 50 euros por megawatt, contra o actual preço de referência no mercado de 90 euros, sendo que o preço começará nos 40 euros.

Na actual configuração do mercado europeu, o gás determina o preço global da elcetricidade quando é utilizado, uma vez que todos os produtores recebem o mesmo preço pelo mesmo produto - a electricidade - quando este entra na rede.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados