Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Crise/Energia: Pescadores exigem redução do preço dos combustíveis

barcos de pesca

A Federação dos Sindicatos do Sector da Pesca exigiu hoje a redução do preço dos combustíveis, pedindo medidas ao Governo semelhantes às tomadas para outros sectores, de acordo com um comunicado a que a Lusa teve acesso.

"Face ao brutal aumento do preço dos combustíveis é urgente que o Governo adopte para o sector das pescas, como terá feito noutros sectores, uma política de apoios que amortize o efeito desses aumentos e que nesses apoios sejam tidos em conta tanto as empresas como os pescadores", defende o comunicado.

De acordo com a federação sindical, "os pescadores são particularmente afectados pelo aumento do custo dos combustíveis, uma vez que, na maioria dos casos, pagam a factura dos combustíveis das embarcações que sai do valor da venda antes do pagamento dos seus salários".

"Em Portugal estima-se que cerca de 2.000 embarcações de pesca artesanal e costeira usem motores a gasolina, mantendo-se uma disparidade de apoios às respectivas motorizações a gasolina ou a gasóleo", referem os pescadores.

Assim, no caso do gasóleo "a isenção do imposto sobre produtos petrolíferos e energéticos (ISP) é, pois, um benefício fiscal no acto da compra que não requer publicação anual, sendo atribuído um cartão magnético através de uma candidatura única".

No caso da gasolina "é atribuído um subsídio que corresponde a uma redução no preço final da gasolina consumida", sendo "necessário que os beneficiários façam candidaturas semestrais, posteriormente o pagamento do subsídio é efectuado através de transferência bancária, que tarda a chegar".

"O sector da pesca está a suportar um aumento brutal nos custos de produção, com os custos com o combustível 40% mais altos que no pior mês de 2021", refere a federação sindical no comunicado, repudiando "a recusa do Governo em adoptar medidas eficazes que controlem os preços dos combustíveis, travando a actual onda especulativa".

A federação exige "que o Governo resolva rapidamente o pagamento atrasado do subsídio", "o mesmo tratamento para as embarcações a gasolina que têm as a gasóleo" e "apoios imediatos que resolvam o problema do custo do combustível".

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)