Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Homem sequestrado por gangue armado na Praia da Areia Branca

GNR

Um gangue sequestrou um homem na Praia da Areia Branca e forçou-o a entrar, sob a ameaça de armas de fogo, na bagageira do seu automóvel, vindo a ser libertado quatro horas depois numa zona erma na freguesia de Atouguia da Baleia. A notícia é revelada hoje pelo ‘Correio da Manhã’ e tudo aconteceu quando a vítima chegava à sua casa de férias para passar o fim-de-semana. Os criminosos - três ou quatro - terão esperado que a mulher e os filhos entrassem na residência para efectuarem o ‘carjaking’, na sexta-feira à noite, por volta das 21h50, tendo depois seguido viagem até à A8.

Posteriormente, o grupo terá furtado, já às 0h35 de sábado, uma padaria no Vau, no concelho de Óbidos, onde forçaram a entrada no estabelecimento comercial e furtaram dinheiro e vários objectos. Durante a fuga, os assaltantes terão efectuado um disparo contra um automóvel que se preparava para sair de um parque de estacionamento, não havendo registo de feridos segundo as autoridades.

O fim do pesadelo do homem sequestrado só terá ocorrido pelas 2h00, quando os criminosos o abandonaram perto da Praia do Baleal. A vítima, em pânico, procurou então ajuda junto dos residentes da zona para alertar as autoridades, tendo sido assistido posteriormente no local pelo INEM - Instituto Nacional de Emergência Médica, não tendo sido necessária a sua hospitalização. Quanto à viatura usada no assalto foi depois encontrada a arder perto da estância balnear penichense.

A GNR tomou conta da ocorrência e o caso passou para o cuidado da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária que está a conduzir a investigação. Ainda segundo o ‘CM’, a vítima não conseguiu dar muitos pormenores sobre os ladrões que estavam encapuçados e, no momento do sequestro, a família não terá assistido ao crime pelo que as autoridades policiais acreditam que o gangue terá esperado pelo momento certo para efectuar o ataque.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Direitos Reservados