Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Lisboa e Oeste negoceiam criação de passe único inter-regional para utentes dos transportes públicos

Rodoviaria do Oeste 3

A OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste e a Área Metropolitana de Lisboa (AML) estão a negociar a possibilidade de virem a criar um passe único inter-regional para deslocações entre os territórios de ambas. As negociações entre ambas as instituições estão a decorrer e as duas autoridades de transportes ainda não fecharam o acordo, disseram à Lusa o presidente da OesteCIM, Pedro Folgado, e uma fonte da AML.

Nesse sentido, a 18 de Abril, o conselho da AML aprovou por unanimidade uma adenda ao contrato interadministrativo que já tinha estabelecido em março com a OesteCIM, a que a Lusa teve acesso. “Em vez de as pessoas terem dois passes, o intermunicipal da Oeste até à fronteira com a AML e outro dentro da AML, a ideia é terem só um”, disse Pedro Folgado, avançando com a hipótese de esse novo título vir a custar 80 euros, a soma do passe intermunicipal da AML com o da OesteCIM, tratando-se de duas regiões diferentes. Com o acordo, as duas autoridades regionais de transportes têm como objectivos promover a igualdade de oportunidades entre os cidadãos e a coesão territorial.

Vários concelhos da região Oeste estão à mesma distância ou até mais perto da capital do que alguns da Área Metropolitana de Lisboa. Em Abril, com a entrada em vigor dos novos títulos de transportes, a OesteCIM passou a financiar um desconto de 30% nos passes das ligações rodoviárias inter-regionais. Só os transportes inter-regionais para Lisboa são utilizados por cerca de cinco mil utentes.

No primeiro mês, o custo com esse desconto foi suportado apenas pela OesteCIM e a intenção é chegar a um acordo para as duas autoridades de transportes passarem a comparticipá-lo. Contudo, a AML não pretende dividir uma percentagem dos custos, à semelhança do que acontece entre a OesteCIM e outras comunidades intermunicipais fronteiriças, mas a entrar com um financiamento anual de 200 mil euros. O eventual passe de 80 euros ficaria mais barato do que os passes que entraram em vigor no mês passado, com o desconto de 30% aplicado sobre o custo total.

Entre os concelhos do Oeste do distrito de Lisboa, por exemplo, o passe de Arruda dos Vinhos para Lisboa tem um custo total de 138 euros, subindo para 160 a partir de Alenquer e Sobral de Monte Agraço, de 166 de Torres Vedras e de 183 na Lourinhã. A estes valores passou a ser aplicado um desconto de 30% desde o mês passado, baixando para 97 euros em Arruda dos Vinhos, 112 euros em Alenquer e Sobral de Monte Agraço, 116 euros em Torres Vedras e 128 euros na Lourinhã. As duas autoridades regionais de transportes estão agora a avaliar o financiamento disponível de cada uma para perceber se haverá condições para criar o passe único intermodal de 80 euros ou até onde poderão ir os descontos a aplicar.

A OesteCIM integra os municípios de Alenquer, Arruda dos Vinhos, Cadaval, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras, Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Óbidos, Nazaré e Peniche.

A AML é composta pelos municípios de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados