Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Vinhos: CVR Lisboa ficou sem presidente e vai a eleições a 6 de Dezembro

IVV

A CVR - Comissão Vitivinícola da Região da Lisboa ficou sem liderança com a nomeação de Bernardo Gouvêa para presidente do IVV – Instituto da Vinha e do Vinho. Como consequência, de acordo com a legislação, caiu a direcção e a CVR vai ter que reunir o Conselho Geral para eleger a nova direcção, estando a sessão marcada para o próximo dia 6 de Dezembro em Torres Vedras, segundo apurou o ALVORADA.

Bernardo Gouvêa tinha sido escolhido em Junho último como sucessor de Vasco d’Avillez à frente da CVR Lisboa, se encontrava no exercício do cargo há oito anos. Os vogais da direcção em representação da Produção e Comércio, Carlos João Pereira da Fonseca (Bombarral) e José Bernardo Nunes (Cadaval), respectivamente, tinham sido reconduzidos, bem como José Luis Oliveira da Silva enquanto presidente do Conselho Geral.

Bernardo Gouvêa sucede a Frederico Falcão na presidência do IVV e a tomada de posse está agendada para 3 de Dezembro, tendo o seu nome sido escolhido pelo ministro da Agricultura, Capoulas Santos, após a ‘short-list’ de três nomes apresentada pela CRESAP - Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública.

Assim, partir de segunda-feira, dia 3, a actividade da CVR Lisboa estará paralisada, do ponto de vista administrativo, até à eleição da nova direcção. No Conselho Geral será eleito um vogal em representação dos produtores de vinho, enquanto que os representantes do comércio elegerão o seu vogal. Depois, em conjunto, será eleito o novo presidente da direcção. Ao que apurou o ALVORADA, há já um candidato escolhido mas o seu nome só será conhecido publicamente a 6 de Dezembro.

A CVR Lisboa é uma associação regional interprofissional, à qual compete controlar a origem, garantir a genuinidade e promover os produtos vitivinícolas com direito a Denominação de Origem e a Indicação Geográfica (Vinho Regional Lisboa). A instituição possui as denominações de origem: Alenquer, Arruda, Bucelas, Carcavelos, Colares, Encostas d’Aire (Alcobaça e Medieval de Ourém), Lourinhã, Óbidos e Torres Vedras e ainda a indicação geográfica homónima (‘Vinho Regional Lisboa’). A sede da CVR Lisboa está localizada nas antigas instalações do IVV em Torres Vedras.

Texto e fotografia: Paulo Ribeiro/Jornal ALVORADA