Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Covid-19: União Europeia e OMS alertam para chegada de nova vaga e apelam para vacinação

Covid 19 7

A União Europeia (UE) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertaram hoje para o aumento dos casos de Covid-19, que sugerem ter começado uma nova vaga de infecções, e apelam para o reforço da vacinação.

Numa declaração conjunta hoje divulgada, a Comissão Europeia, a OMS e o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) referem que a pandemia da Covid-19 ainda não acabou e os números de casos têm estado a subir, “indicando que começou uma nova vaga” com a chegada do Outono.

Os signatários - a comissária europeia para a Saúde, Stella Kyriakides, o director regional da OMS para a Europa, Hans Henri Kluge, e a directora do ECDC, Andrea Ammon - salientam que “infelizmente” os números da Covid-19 têm subido, estando embora longe dos de 2021, e recomendam a necessidade de protecção “especialmente dos mais vulneráveis, através de todos os instrumentos disponíveis, incluindo a vacinação”.

O comunicado alerta ainda para o esperado crescimento dos casos de influenza sazonal e da potencial circulação conjunta deste vírus com o SARS-CoV-2, que causa a Covid-19, que aumentará a pressão sobre os hospitais e outros cuidadores de saúde.

Juntamente com as medidas de saúde pública [como uso de máscara e o distanciamento físico], a vacinação continua a ser um dos instrumentos mais efectivos contra ambos os vírus”, sublinham os signatários.

Portugal registou, entre 27 de Setembro e 3 de Outubro, 14.852 infecções pelo coronavírus SARS-CoV-2, 45 mortes associadas à Covid-19 e uma ligeira redução dos internamentos, indicou a Direcção-Geral da Saúde (DGS), na sexta-feira.

Segundo o boletim epidemiológico semanal da DGS, em relação à semana anterior, registaram-se menos 4.729 casos de infecção, verificando-se mais uma morte na comparação entre os dois períodos.

Texto: ALVORADA com agência Lusa