Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Ucrânia: Portugal concede quase 27 mil pedidos de protecção temporária

SEF Ucrania

Quase 27 mil pedidos de protecção temporária foram concedidos até hoje por Portugal a pessoas que fugiram da guerra da Ucrânia, segundo a última actualização feita pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

O SEF precisa que concedeu desde o início da invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de Fevereiro, 26.950 pedidos de protecção temporária a cidadãos ucranianos e a estrangeiros que residem naquele país. De acordo com o SEF, entre os refugiados ucranianos que chegaram a Portugal e beneficiários da protecção temporária, 9.558 são menores, representando cerca de 35%.

No decorrer do processo para protecção temporária em Portugal, os cidadãos têm acesso aos números fiscal, de Segurança Social e do Serviço Nacional de Saúde (SNS), pelo que podem assim beneficiar destes serviços e ingressar no mercado de trabalho. Dos quase 27 mil pedidos de protecção temporário, o SEF emitiu 8.400 certificados, segundo dados do SEF avançados à Lusa. Os certificados são emitidos após o SNS, Segurança Social e Autoridade Tributária terem atribuído os respcetivos números aos refugiados.

O SEF tem uma plataforma 'online', em três línguas, para pedidos de proteção temporária por residentes ucranianos. A plataforma 'SEFforUkraine.sef.pt' "possibilita a todos os cidadãos ucranianos e seus familiares (agregado familiar), bem como a qualquer cidadão estrangeiro a residir na Ucrânia, fazer 'online' um pedido de protecção temporária de um ano, prorrogável por dois períodos de seis meses", segundo o SEF. A plataforma contém ainda informação relativa aos demais aspectos de acolhimento e integração de pessoas deslocadas.

A Rússia lançou a 24 de Fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, um ataque que foi condenado pela generalidade da comunidade internacional.

Texto: ALVORADA com agência Lusa