Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Centro Nacional de Segurança Rodoviária vai ser criado na Guarda

ANSR 2

A secretária de Estado da Administração Interna revelou hoje que vai ser criado na Guarda o Centro Nacional de Segurança Rodoviária, devendo a sua instalação ficar concluída este ano.

Em declarações à agência Lusa após a apresentação do estudo ‘O Impacto Económico e Social da Sinistralidade Rodoviária em Portugal’, Patrícia Gaspar referiu que a criação deste centro está inserida “no âmbito da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) descentralizada”.

“Este ano temos condições para dar os primeiros passos, já está previsto na proposta de alteração da lei orgânica da ANSR”, disse a secretária de Estado, adiantando que já há trabalhos feitos em parceria com o Instituto Politécnico da Guarda.

Segundo Patrícia Gaspar, o centro vai ter capacidade específica para desenvolver trabalhos nas áreas informativas e de sensibilização ligados à segurança rodoviária. “Trabalhar com a parte educativa, com a sociedade civil, criar campanhas, materiais informativos. No fundo será para robustecer muito este tronco relacionado com a sensibilização para a segurança rodoviária e para a redução dos índices de redução rodoviária”, precisou.

A secretária de Estado destacou também “a meta muito ambiciosa” que existe para os próximos anos, que passa pelas zero vítimas de acidentes rodoviários. Patrícia Gaspar assumiu que este objectivo “é difícil”, tendo em conta que actualmente Portugal tem mais de 400 mortos por ano nas estradas, “mas é a única possível” e a "única que se pode aceitar".

A governante explicou que “há um prazo temporal dilatado” para atingir essa meta. “Até 2030 reduzir para 50% o número de vítimas mortais e de feridos graves e tentar chegar ao zero em 2050”, precisou, considerando fundamental “uma série de factores”, nomeadamente o fator humano, automóvel e as condições das estradas. “Este triângulo tem que se conjugar para alcançar estas metas”, disse.

O estudo desenvolvido pelo Centro de Estudos de Gestão do Instituto Superior de Economia e Gestão e hoje apresentado pela ANSR concluiu que os acidentes rodoviários registados em Portugal em 2019 tiveram um custo económico e social superior a seis mil milhões de euros, valor que representa 3,03% da riqueza criada no país nesse ano. Patrícia Gaspar considerou que os dados são referentes a 2019, mas mantêm-se actuais, sustentando que a comissão europeia recomendou que estes estudos sejam feitos de cinco em cinco anos "porque se está a falar de grandes tendências”.

Texto: ALVORADA com agência Lusa