Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Covid-19: Testes gratuitos aumentam de quatro para seis por pessoa

covid 19 testes

O número de testes gratuitos de despiste da Covid-19 vai aumentar de quatro para seis por pessoa em cada mês, no âmbito das medidas para combater a pandemia, anunciou hoje o Primeiro-Ministro.

“Em primeiro lugar, continuar a incentivar a testagem massiva. Por isso vamos passar de quatro para seis o número de testes gratuitos por pessoa em cada mês”, adiantou António Costa, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros.

Segundo o chefe do executivo, a testagem quase que triplicou entre 19 de Dezembro de 2020 e 19 de Dezembro deste ano, conseguindo que a positividade “seja hoje menos de metade da que era há um ano”.

Relativamente à disponibilidade de testes no mercado para responder à procura que tem sido registada, António Costa adiantou que as várias entidades estão a “fazer um esforço” para garantir testes no período do Natal e de Fim de Ano.

A informação que o Governo tem é que as “diferentes entidades estão a fazer um esforço de aumentar o número de testes que são comercializados e anteciparam uma maior procura e que vai haver testes durante este período natalício e de final do ano”, referiu o Primeiro-Ministro.

Um total de 1.040 farmácias estão registadas para realizar testes gratuitos de uso profissional para despiste do coronavírus, assim como 454 laboratórios que também aderiram a este regime excepcional e temporário de comparticipação.

O Governo voltou a comparticipar a realização de testes TRAg, uma medida que abrange toda a população e que se estende até 31 de Dezembro, prazo que pode ser prorrogado. O regime excepcional e temporário tinha cessado em Outubro, tendo em conta que Portugal estava próximo de atingir os 85% da população totalmente vacinada contra a Covid-19, mas o Ministério da Saúde decidiu reactivá-lo devido à actual situação epidemiológica, com o aumento de casos de Covid-19 e dos internamentos.

Texto: ALVORADA com agência Lusa