Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Covid-19: "Não existem condições para prosseguir o desconfinamento" segundo Governo

ministra mariana silva 24062021

A ministra da Presidência anunciou hoje que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento em Portugal, tendo em conta que o país se encontra “claramente na zona vermelha” da matriz de risco de controlo da pandemia.

“Portugal encontra-se, neste momento, claramente na zona vermelha da nossa matriz, pelo que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento que estava previsto”, afirmou Mariana Vieira da Silva, no final do Conselho de Ministros. Segundo disse, a incidência de novos casos de infeção por cem mil habitantes está, actualmente, nos 129,6 e o índice de transmissibilidade do vírus (Rt) nos 1,18 no território continental.

Em conferência de imprensa, Mariana Vieira da Silva considerou ainda que o agravamento da situação não significa que se “possa falar num descontrolo total” da pandemia de Covid-19, uma vez que em “muitos territórios do país” se verifica uma incidência baixa de novos casos. “O que temos é a necessidade de responder cedo a um crescimento e é isso que estamos a procurar fazer”, disse a governante, ao recordar que, de acordo com estudos publicados, a variante Delta, associada à Índia, tem “um papel importante nos países onde tem uma presença grande”, como o Reino Unido e Portugal.

De acordo com a ministra de Estado e da Presidência, o aumento dos contactos sociais e a retoma gradual da normalidade, no âmbito das várias fases de alívio das restrições, “teria sempre como efeito o aumento do número de casos”, mas “não era expectável que fosse tão elevado” como os últimos dados indicam.

Mariana Vieira da Silva afirmou ainda que o Governo tinha apresentado o plano de desconfinamento, que arrancou a 15 de Março, como uma validade até ao final de Agosto, e “essa é, neste momento, a decisão” do executivo. “Se me pergunta se houver um agravamento da pandemia, se podemos novamente olhar para a matriz, obviamente que sim”, avançou a ministra na conferência de imprensa onde foram anunciadas novas medidas para controlo da pandemia de Covid-19.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Lusa