Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Região Oeste sob aviso laranja devido à chuva forte e agitação marítima

IPMA chuva

Oito distritos de Portugal continental estão hoje sob aviso laranja devido à previsão de chuva por vezes forte e agitação marítima, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria e Lisboa estão sob aviso laranja até às 9h00 de quarta-feira devido à previsão de agitação marítima com ondas de Oeste/Noroeste com 5 a 7 metros, podendo atingir uma altura máxima de 10 a 12 metros, passando depois a amarelo. O oitavo distrito em aviso amarelo é o de Viseu, mas devido à chuva. A agitação marítima levou também o IPMA a colocar sob aviso amarelo os distritos de Setúbal, Beja e Faro até às 18h00 de quarta-feira.

Por causa do agravamento do estado do mar na Costa Oeste de Portugal continental, a Autoridade Marítima Nacional e a Marinha alertaram hoje a população e recomendaram à comunidade marítima a adoção de um estado de vigilância no mar e nas zonas costeiras. Em comunicado, as autoridades pedem que sejam redobrados os cuidados tanto na preparação de uma ida para o mar, como quando estão no mar, devendo também reforçar a amarração das embarcações atracadas e fundeadas.

À população em geral, relembram que se encontra em vigor um dever geral de recolhimento domiciliário, pelo que as pessoas devem permanecer em casa, em segurança, não se expondo desnecessariamente ao risco.

Os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Vila Real, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Setúbal, Faro e Viseu estão também sob aviso amarelo até às 3h00 de quarta-feira por causa do vento forte do quadrante oeste, com rajadas até 90 km/h, sendo até 110 km/h nas terras altas.

O IPMA colocou ainda sob aviso amarelo os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Guarda e Castelo Branco devido à queda de neve acima da cota de 1.300/1.400 metros entre as 12h00 de hoje e as 3h00 de quarta-feira.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas actividades dependentes da situação meteorológica.

Na sequência dos avisos do IPMA, a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) emitiu um alerta à população. Em comunicado, a ANEPC destaca a previsão de chuva intensa nas regiões norte e centro, vento também forte e agitação marítima na costa ocidental, queda de chuva forte, queda de neve, em especial na Serra da Estrela-Torre, e agitação marítima forte na costa ocidental. “Prevê-se que precipitação acumulada até próximo dia 10 [quarta-feira] atinja os 150 mm nas regiões norte e centro do continente”, é referido.

A ANEPC alerta que a precipitação local excessiva e persistente dos últimos dias poderá provocar cheias e inundações face à subida da altura dos rios e ribeiras do Alentejo (nomeadamente no vale do rio Sorraia, com submersão de pontes no concelho de Mora e galgamento da margem esquerda do rio em Coruche, com vigilância em relação à vila, e submersão de estradas) e Algarve. Com base na previsão de precipitação deverá ser mantida a vigilância sob as bacias do Tejo, Douro, Vouga e Mondego.

Devido às condições meteorológicas, a ANEPC alerta também para o piso rodoviário escorregadio, podendo haver cheias rápidas nas zonas urbanas e em estruturas urbanas subterrâneas com deficiente drenagem e em locais historicamente mais vulneráveis e quedas de ramos ou árvores. Por isso, a ANEPC recomenda que sejam desobstruídos os sistemas de escoamento das águas pluviais e retirados objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao escoamento das águas, redução da velocidade e evitar a circulação em vias afetadas pela acumulação de neve e nas vias afetadas pela acumulação de água e junto à orla costeira e zonas ribeirinhas.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Direitos Reservados