Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Histórias de 26 municípios da candidatura de Leiria Capital Europeia da Cultura em livro

rede cultura 2027

A identidade histórica dos 26 municípios da Rede Cultura 2027, que prepara a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura, está reunida no livro ‘Retratos de um território’, que foi lançado na cidade do lis.

A edição foi apresentada no mimo - Museu da Imagem em Movimento, em Leiria, e representa o esforço de uma equipa de 30 investigadores dos 26 municípios, entre os quais o Município da Lourinhã. Nos últimos meses, essa equipa elaborou “um retrato multifacetado deste grande território”, explicam os coordenadores da obra, Acácio de Sousa e Maria Inácia Rezola.

“Este livro é constituído por pequenos retratos e, não sendo uma obra de grande aparato, tem um significado muito preciso e muito pertinente” sobre “os períodos históricos mais recentes, chamados período moderno e contemporâneo”, disse hoje Acácio de Sousa. ‘Retratos de um território’ aborda acontecimentos, gentes, objectos artísticos ou actividades económicas, constituindo “um documento de futuro”, sintetizou o historiador Saul António Gomes.

“Quem quiser compreender um pouco melhor o que é a procura desta identidade deste território que construímos e a que pertencemos tem neste livro um documento de trabalho e de reflexão. É um livro que honrará as estantes das bibliotecas dos nossos municípios, das nossas escolas, mas também das escolas de ensino superior e outras”, sublinhou o investigador, que coordenou o grupo dedicado à História no Congresso da Rede Cultura 2027, que deu origem à publicação apresentada na última sexta-feira.

Para a vice-presidente da Câmara Municipal de Leiria, esta primeira edição da candidatura do município a Capital Europeia de Cultura é a “feliz materialização” da Rede Cultura 2027, comparando-o a “um espelho”. “Antes de tudo é disto que aqui se trata: de nos vermos ao espelho, mas não um espelho estático que nos devolve de nós a imagem que já sabemos ser a nossa. Este é um espelho diferente, que procura ir além de si, além de nós, além do objecto que reflecte. É um espelho que reflecte não apenas o que existe, mas também a memória que cada um de nós tem de si e do outro. Reflecte o que vamos tentando ser, mais do aquilo que hoje e agora somos”, afirmou Anabela Graça.

Esta edição surge como “contributo para levar a bom porto o que desejamos, que é termos um território mais triunfante e mais vitorioso nas suas ambições”, sublinhou Saul António Gomes, nomeadamente “em ordem a poder tornar-se centro da Europa em 2027, com um território de projecção de cultura e de construção cultural”, concluiu.

O livro ‘Retratos de um território’, promovido pelo Grupo Relator dos Marcadores, é a primeira publicação da Rede Cultura 2027, que compila 26 textos e oferece um retrato multifacetado da Rede Cultura, com acontecimentos, figuras ou práticas características e identitários de cada um dos municípios. A Câmara Municipal da Lourinhã convidou Teresa Faria de Sousa, presidente do Centro de Estudos Históricos da Lourinhã, para publicar um artigo sobre a vida de Amélia Rego Coutinho, fundadora da Caixa Agrícola da Lourinhã.

A edição deste livro foi organizada por Acácio de Sousa e Maria Inácia Rezola, juntamente com o coordenador do Grupo Relator, Saul António Gomes, o editor, Carlos Fernandes, e a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Leiria, Anabela Graça.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados