Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Termas do Centro vão recolher e partilhar memórias e tradições com projecto ‘Aldeias do Conhecimento’

Termas 1

A rede Termas Centro, que integra as Termas do Vimeiro, anunciou hoje que vai realizar uma recolha “exaustiva” das memórias e tradições mais características dos territórios onde as suas estâncias termais estão implantadas, no âmbito do projecto ‘Aldeias do Conhecimento’. Segundo a rede Termas do Centro, este trabalho, que vai ser concretizado ao longo de dois anos, “vai proceder a cerca de 400 registos de vivências e tradições das estâncias termais e dos territórios envolventes”. O projecto será realizado para as Termas do Centro pela associação cultural Binaural Nodar, que se dedica há mais de quinze anos à etnografia e à criação artística sonora e audiovisual.

“Em cada uma das estâncias termais serão entrevistadas várias pessoas, preferencialmente mais velhas, sendo recolhidas e documentadas as suas memórias sobre o território. Os testemunhos serão compilados e posteriormente publicados num portal específico para o efeito. Em simultâneo, serão promovidas actividades que permitam capitalizar e partilhar os conhecimentos recolhidos”, adianta o Turismo Centro de Portugal em comunicado.

‘Aldeias do Conhecimento’ compreende várias etapas, sendo que, após a realização de estudos preliminares, proceder-se-á à fase de recolha, em que serão efectuados pelo menos 20 registos audiovisuais (entre entrevistas, registos de tradições e de paisagens) em cada um dos territórios onde se situam os balneários termais incluídos na rede Termas do Centro, ascendendo a, pelo menos, 400 registos no final do projecto.

Todo o material registado “será devidamente catalogado, de acordo com as melhores práticas internacionais de arquivologia, e inserido num portal criado para o efeito - ‘Memória Termas Centro’”, destaca o comunicado.

Com base nas recolhas efectuadas, também será posteriormente apresentada uma exposição multimédia itinerante e desenvolvido um espectáculo contemporâneo em espaços termais. A realização de um ciclo de ateliês ‘Viver o Património das Termas Centro’ é outra das possibilidades.

Adriano Barreto Ramos, coordenador da rede Termas Centro, citado na nota, refere que, com o projecto ‘Aldeias do Conhecimento’, as Termas do Centro “vão contribuir para a preservação das memórias de todo um povo, materializadas nas tradições dos territórios termais”. “O resultado será, sem dúvida, um legado histórico importantíssimo que esta rede oferecerá ao país”, vaticina.

A rede Termas Centro, cujo promotor líder é a Associação das Termas de Portugal - Delegação Centro - é um projecto cofinanciado pelos programas operacionais Centro 2020, Portugal 2020 e pela União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), no âmbito da Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE (Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos).

Integram o consórcio 20 estâncias termais da região Centro, algumas das quais do Oeste: Termas de Alcafache, Termas de Almeida - Fonte Santa, Termas de Águas - Penamacor, Termas do Bicanho, Caldas da Felgueira, Caldas da Rainha, Termas do Carvalhal, Termas da Curia, Termas do Cró, Termas da Ladeira de Envendos, Termas de Longroiva, Termas de Luso, Termas de Manteigas, Termas de Monfortinho, Termas da Piedade, Termas de Sangemil, Termas de São Pedro do Sul, Termas de Unhais da Serra, Termas de Vale da Mó e Termas do Vimeiro.

As Termas do Vimeiro (Fonte dos Frades), situadas a meio caminho entre a povoação da Maceira e a Praia do Porto Novo, no concelho de Torres Vedras, teve a primeira análise oficial em 1867, efectuada primeiro por Agostinho Vicente Lourenço e depois por Charles Lepierre. A história destas termas remonta ao século XIX. Já em 1845, algumas descrições davam nota da existência de dois banhos junto às emergências de água, numa e noutra margem do Rio Alcabrichel. Devido às características da água - mineralização total hipersalina e com composição iónica cloretada-sódica-magnesiana - as indicações terapêuticas abrangem tratamentos da pele e no âmbito dos aparelhos circulatório, digestivo e respiratório. A época termal vai de Junho a Setembro.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados