Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Autoridade Marítima Nacional alerta para os cuidados a ter com Medusas Velella Velella nas praias portuguesas

medusa

A Autoridade Marítima Nacional alerta toda a população para os cuidados a ter e o que fazer em caso de contacto com Medusas Velella Velella, que têm surgido nos últimos dias em algumas praias da costa portuguesa. Estes organismos gelatinosos de dimensão reduzida vivem no mar, na coluna de água ou à superfície, e apresentam tentáculos igualmente de pequena dimensão que podem ser urticantes.

O contacto com uma Medusa Velella Velella deve ser evitado “uma vez que pode provocar uma reacção alérgica e, em casos mais graves, queimaduras ou outras reações”, revela em comunicado enviado ao ALVORADA.

No seguimento da sensibilização que tem vindo a realizar junto da comunidade balnear sobre os cuidados a ter nas praias e zonas do Domínio Público Marítimo, em coordenação com as autoridades de saúde e com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a Autoridade Marítima Nacional alerta a população para os cuidados a ter com Medusas Velella Velella, indicando como proceder em caso de avistamento e/ou contacto com estes organismos.

Quando o banhista avistar este tipo de organismos deve afastar-se, sair da água evitando o contacto directo, por forma a evitar reacções alérgicas, e alertar o nadador-salvador ou as autoridades.

No entanto, caso tenha tido contacto com estes organismos e sentir uma picada, deve sair rapidamente da água e dirigir-se de imediato ao nadador-salvador. Os sintomas associados à picada podem ser dor forte, irritação, vermelhidão, inchaço, comichão e, em alguma situações, sensação de queimadura (calor/ardor) no local.

Deverá ter ainda em conta os seguintes conselhos para prestação de primeiros socorros: não esfregar ou coçar a zona atingida para não espalhar o veneno; não usar água doce, álcool ou amónia; não colocar ligaduras; lavar com cuidado com a própria água do mar; retirar com cuidado os tentáculos (caso tenham ficado agarrados à pele) utilizando luvas, uma pinça de plástico e soro fisiológico ou água do mar; se possível, aplique bicarbonato de sódio misturado em partes iguais com água do mar; e aplicar frio (água do mar gelada ou bolsas de gelo) no local atingido para aliviar a dor (o gelo não pode ser aplicado diretamente na pele, deve ser enrolado num pano).

Caso apresente sintomas de queimadura na zona afectada deverá tomar um anti-histamínico; aplicar uma camada fina de pomada própria para queimaduras; e dirigir-se a um posto médico.

Em algumas circunstâncias, especialmente nas pessoas mais sensíveis às picadas e venenos das medusas ou águas-vivas (conhecidas por alforrecas), poderão ocorrer reacções alérgicas graves, como falta de ar, palpitações, cãibras, náuseas, vómitos, febre, desmaios, convulsões, arritmias cardíacas e problemas respiratórios. Nestes casos devem ser encaminhadas de imediato para o serviço de urgência.

Fotografia: Direitos Reservados