Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

SPAVC organiza webinar sobre a necessidade do controlo da Hipertensão Arterial na prevenção do AVC em tempos de pandemia Covid-19

hipertensaoarterial

A Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC), organiza, durante a tarde desta sexta-feira, dia 15, um webinar dirigido a profissionais de saúde, com o objectivo de debater a necessidade do controlo da Hipertensão Arterial (HTA), principal factor de risco cerebral, na prevenção do Acidente Vascular Cerebral (AVC) em tempos de pandemia Covid-19.

Vítor Tedim Cruz, moderador da sessão, frisa que, na verdade, “a HTA é o principal fator de risco cerebral modificável na população portuguesa e do seu controlo depende a incidência do AVC isquémico e hemorrágico, bem como a prevenção da recorrência e outras complicações após AVC”. Assim, “é essencial mantermos a hipertensão sob controlo nesta fase de pandemia”, pretendendo-se, neste webinar, “debater como abordar as principais dificuldades nesta área com maior sucesso”, acrescenta o neurologista e membro da direcção da SPAVC.

O preletor convidado, Fernando Pinto, especialista nesta área, salienta que “com o medo do potencial contágio por COVID-19, muitos doentes têm protelado a procura de cuidados de saúde, quer em situações de doenças crónicas, quer mesmo de sinais/sintomas agudos”. O cardiologista lembra que, “apesar dos importantes progressos das últimas décadas, as doenças cérebro-cardiovasculares (DCCV) continuam a ser a principal causa de morte (cerca de 30% de todos os óbitos) e de morbilidade em Portugal e, destas, o AVC representa aproximadamente 2/3 dos casos, sendo responsável por quase 12.000 óbitos/ano”. O adequado diagnóstico, seguimento e controlo da HTA é a principal forma de reduzir a morbi-mortalidade do AVC pelo que, “sem prejuízo de termos de adaptar a nossa prática clínica a novos modelos, não podemos deixar de nos focar naquela que é a principal causa de mortalidade e incapacidade do nosso país”.

Para além disso, “têm sido levantadas dúvidas quanto ao potencial risco acrescido dos doentes hipertensos, bem como se alguns dos fármacos usados no tratamento da HTA agravam ou devem, pelo contrário, ser preferidos nos doentes com infeção por SARS-Cov-2. É o que iremos abordar e rever”, avança Fernando Pinto.

Castro Lopes, presidente da direcção da SPAVC, responsável pela mensagem de boas-vindas no início do webinar, destaca a importância da participação activa numa sessão que visa essencialmente uma aposta na prevenção primária, patente nos fundamentos de criação da SPAVC e prioridade assumida ao longo dos 15 anos de existência desta sociedade científica. “Esta reunião representa a permanente atenção que mantemos em ordem a proporcionar os melhores cuidados na prevenção e tratamento da primeira causa de mortalidade em Portugal - o AVC”, considera o neurologista.

De um diálogo que se pretende intenso neste webinar, resultarão certamente atitudes melhoradas a todos os que nos procuram em ordem a que caminhem para uma vida longa, não sendo vítimas de AVC (prevenção melhor que tratamento). Apareçam para termos mais uma excelente ação de formação, como foram os webinars anteriormente por nós realizados”, apela Castro Lopes.

Esta iniciativa, que tem início marcado para as 17h30 e que conta com o apoio da Menarini, destina-se aos profissionais de saúde, os quais poderão solicitar acesso através dos vários canais de comunicação da SPAVC.

Fonte: Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral