Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

João Carlos Ferreira Carneiro (1955/2022)

As suas grandes paixões eram a esposa, os filhos, o futebol, os cavalos, os touros, as motos, o mar, a pesca e andar a cavalo à beira-mar.

Nasceu em Bucelas no dia 16 de fevereiro de 1955, onde andou na escola até à admissão ao liceu. Foi para o liceu Camões com 9 anos e com 14 anos foi estudar à noite para a Escola Comercial Ferreira Borges em Alcântara onde finalizou o curso comercial. Começou a trabalhar aos 13 anos no Martim Moniz com um ciclomotor de 3 rodas com um estrado na frente, indo carregar bananas à Rocha Conde de Óbidos e fazer a distribuição pelos mercados de Lisboa. Com 14 anos foi trabalhar para a Predial Liz ser paquete telefonista. Com 15 anos foi para a Social Seguros na Braamcamp onde esteve 24 anos. Em 1978 e depois do serviço militar, veio para a zona oeste ser comercial da Social Seguros com escritório em Peniche. De 1986 a 1992 teve escritório na Lourinhã e de 1992 a 2002 veio para a Fidelidade Diost, Direcção Zona Oeste, sendo coordenador adjunto da zona centro que ia de Torres Vedras a Coimbra. Em 2003 começou a trabalhar por conta própria e fez sociedade com a esposa, João Carlos & Zita, Soc. Mediadora de Seguros, Lda, com escritório na zona histórica da Lourinhã.

Como jogador iniciou-se nos juvenis do Loures e foi júnior do Atlético, mas nunca jogou porque como estudava à noite embora o Estádio da Tapadinha fosse perto da Escola Ferreira Borges não era compatível.

Com 17 anos jogava pelas reservas do Bucelas ao sábado e ao domingo era suplente na equipa principal. Com 18 anos foi para o Loures onde esteve 8 épocas, sendo Rei do Carnaval em 1976. Em 1980 jogou no Odivelas seguindo-se o Peniche, o Torreense onde fraturou o menisco e ligamentos, acabando a carreira com 29 anos. Em 1982 tirou o curso de treinador, treinando o Bucelas, o Bombarralense, foi secretário técnico do Peniche com o Manaca aquando da subida à 1ª Divisão Nacional 83/84, o Sobral Monte Agraço, Atouguiense, Lourinhanense, Usseira de Óbidos, Alfeizerão, Rio Maior, Venda do Pinheiro, Malveira e Ribeira de Palheiros. Teve cinco subidas de divisão como jogador, Loures, Odivelas, Peniche, Torreense, Bucelas como jogador /treinador e 3 taças AFL Lisboa. Como treinador teve 7 subidas de divisão e cinco Taças AFL Lisboa e Leiria. Vinte títulos na carreira desportiva levando o Lourinhanense pela primeira vez a uma prova de âmbito nacional, Taça de Portugal, sendo 2º na série e foi o único ano em que só subiu uma equipa, o Alverca, senão teriam sido oito subidas como treinador.

Foi pioneiro na organização de duas corridas de touros na Lourinhã nos anos 1999/2000. Foi sócio-fundador do Clube Naval de Paimogo, tendo conseguido autorização da Capitania de Peniche para 28 amarrações. Organizou com o Rui Bonifácio em Abril de 2004 o passeio equestre na Praia da Areia Branca, Rota dos Dinossauros com a presença de mais de 100 cavalos, terminando com um almoço junto ao ringue na Praia da Areia Branca. Foi um bonito dia para a Praia e para o concelho.

Deixa a mulher Zita Maria Carneiro e três filhos: João Gonçalo Pedrosa Carneiro com 38 anos, Rita Raquel Carneiro com 32 anos e Joana Francisca Carneiro com 18 anos.

Era amigo do seu amigo, franco, leal e direto pois resolvia as questões olhos nos olhos com quem quer que fosse. Deixou um grande abraço aos seus verdadeiros amigos pois tinha uma frase em que dizia “um homem pode ter tudo, mas se não tiver meia dúzia de amigos morre sozinho. Penso que quando morrer morro feliz pois ao longo da minha vida sempre tive meia dúzia de amigos entre os quais os meus patrões”.

“Até sempre e obrigada a todos”. Estas foram as palavras escritas por ele e que me pediu para publicar quando chegasse o dia da partida, que ele desejava que fosse daqui a mais alguns anos. Partiu muito cedo e deixou um grande vazio na minha vida. Felizmente na hora despedida teve uma grande manifestação de amizade e admiração por parte de todos, família, amigos e conhecidos. A todos agradeço a vossa presença pois para o João eu sei que apesar de tudo foi uma alegria ter uma homenagem tão sentida e tão bonita.

O meu obrigada a todos e bem hajam.

Zita Carneiro