Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Obras de requalificação do Serviço de Urgência Básica do Hospital de Peniche vão demorar três meses

Hospital Peniche

As obras de requalificação do Serviço de Urgência Básica do Hospital de Peniche começaram este mês, revelou hoje o CHO - Centro Hospitalar do Oeste. Os trabalhos vão demorar três meses e vão custar 141.385,77 euros, revela a instituição pública em comunicado enviado ao ALVORADA.

Trata-se da primeira obra de requalificação neste serviço hospitalar oestino, desde a sua inauguração em 1986, e irá contemplar a renovação do piso e da iluminação, pinturas, portas, colocação de loiças sanitárias e ainda alterações na rede de esgotos. “A concretização desta obra irá permitir melhorar a qualidade de acolhimento, conforto e atendimento aos doentes que acorrem a esta Unidade Hospitalar, e prevenir as infecções hospitalares”, destaca o CHO. Também os profissionais que diariamente exercem as suas funções neste serviço “irão ver melhoradas as suas condições de trabalho”, sublinha ainda o conselho de administração presidido por Elsa Baião.

Recorde-se que o Serviço de Urgência Básica da Unidade de Peniche, que funciona no Hospital São Pedro Gonçalves Telmo e é gerido pelo CHO, serve a população do concelho de Peniche, mas também de outros concelhos em seu redor, como da Lourinhã, assim como recebe muitos turistas e praticantes de desportos náuticos ao longo de todo o ano e sobretudo na época alta do Verão.

No ano passado, ainda afectado pela pandemia Covid-19, este Serviço de Urgência do CHO realizou mais de 15 mil atendimentos e no ano de 2019, antes da pandemia, realizou mais de 25 mil atendimentos. O Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste “apela à compreensão da população utente relativamente aos constrangimentos que são inerentes à realização da obra, que uma vez concluída contribuirá significativamente para a melhoria da qualidade do serviço de saúde à população”.

Recorde-se que o CHO integra os hospitais públicos de Caldas da Rainha, Peniche e Torres Vedras, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com excepção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estêvão das Galés e Venda do Pinheiro), abrangendo perto de 300 mil habitantes.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Direitos Reservados (arquivo)