Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Centro Hospitalar do Oeste dispensa 15 enfermeiros, mas pede autorização para os readmitir

CHO logo

Quinze enfermeiros contratados pelo CHO - Centro Hospitalar do Oeste terminam os contratos e vão ser dispensados no final do mês, mas o conselho de administração já solicitou autorização para renovar o contrato dos profissionais.

Em causa estão 15 enfermeiros contratados ao abrigo do Plano de Contingência para o Inverno, cujos contratos, com duração de quatro meses, terminam no próximo dia 30. “Dando cumprimento aos termos legais, foi comunicado por escrito aos profissionais o término dos contratos, conforme previsto aquando da sua assinatura”, confirmou hoje o conselho de administração (CA) do CHO à agência Lusa, admitindo, no entanto, que “se mantém a necessidade de recursos humanos de enfermagem” que levou à contratação dos enfermeiros. Tendo em conta essa necessidade, o CHO “já solicitou autorização para proceder à renovação destes contratos”, afirmou o CA, acrescentando que aguarda deferimento do pedido para que os enfermeiros possam assinar novo contrato.

Em comunicado, o CHO esclareceu hoje que os 15 enfermeiros foram contratados “com o intuito de reforçar os recursos humanos" - ao abrigo do Plano de Contingência para o Inverno - nos serviços de urgência dos três hospitais da instituição pública, as unidades de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, “dado o previsível aumento da afluência de doentes decorrente da época do ano”. Não obstante ter cessado “o período de contingência que fundamentou a celebração dos contratos”, mantém-se a necessidade de enfermeiros nos serviços em causa, admitiu o CHO, sublinhando que tem “envidado todos os esforços para contratar recursos humanos e continuará a adotar as medidas necessárias para dar a melhor resposta na prestação de cuidados de saúde à população”.

Texto: ALVORADA com agência Lusa