Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Covid-19: ACES Oeste Norte aumenta capacidade para cerca de 2.800 vacinas diárias

Covid 19 vacina 1

O Agrupamento de Centros de Saúde do Oeste Norte aumentou capacidade de vacinação contra a Covid-19 de cerca de 1.700 vacinas para uma média de 2.800, com a relocalização de dois centros de vacinação em pavilhões com maior capacidade.

O aumento da capacidade de resposta resulta da mudança do centro de vacinação das Caldas da Rainha do pavilhão da Mata Rainha D. Leonor para o pavilhão do Arneirense e, em Peniche, de uma tenda para o pavilhão desportivo da Escola Dom Luis de Ataíde, onde hoje os utentes destes concelhos começaram a ser vacinados.

De acordo com a directora do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Oeste Norte, Ana Pisco, a relocalização dos centros dos dois concelhos representa “um aumento da capacidade de vacinação de cerca de 700 pessoas para cerca de 1.000, nas Caldas da Rainha, e de cerca de 250 para 500 pessoas em Peniche”.

Para o aumento da média de inoculações no Oeste contribuirá ainda a abertura de um novo centro em Alcobaça, onde “na segunda-feira será feita a instalação da fibra óptica, aguardando a autorização de abertura nos dias seguintes”, afirmou a responsável durante uma visita realizada esta manhã ao centro de vacinação das Caldas da Rainha.

Além do aumento de postos de vacinação, o ACES Oeste Norte “aumentou os recursos humanos, com a contratação - através de empresas de serviços - de pessoal de enfermagem, sobretudo, e de médicos para fazerem o acompanhamento”, disse a directora. Segundo Ana Pisco, na região Oeste estão actualmente a ser vacinadas “pessoas abaixo dos 60 anos e já foi feito o reforço (segunda dose) das pessoas que tinham levado a vacina da Janssen”, esperando-se que “o grande boom” de vacinação aconteça “nos meses de Janeiro e Fevereiro”, com a administração do reforço aos utentes vacinados com a AstraZeneca até ao final de Julho de 2021.

A velocidade de vacinação está a ser condicionada pelo elevado número de pessoas que “estão infectadas e não podem fazer a vacina, tendo de esperar o prazo determinado pela Direcção-Geral da Saúde para poderem fazer a dose do reforço”, disse Ana Pisco, sublinhando que no fim de semana existiam, na área do ACES, “cerca de 2.700 utentes em isolamento”.

A relocalização do centro de vacinação das Caldas da Rainha foi financiada pelo Município, que, segundo o presidente do executivo, Vítor Marques (Movimento Vamos Mudar), “investiu alguns milhares de euros na pintura e manutenção do espaço e na aquisição dos módulos para os postos de vacinação”. A autarquia criou ainda um parque de estacionamento para os utentes e alterou percurso dos autocarros ‘Toma’, que passam a ter uma paragem junto ao pavilhão. “Temporariamente será ainda assegurado um serviço de ‘shuttle’ [transbordo] dos utentes que, não tendo conhecimento da mudança de local, se dirijam ainda ao Pavilhão da Mata”, informou Vítor Marques.

O centro de vacinação das Caldas da Rainha é aquele que tem maior capacidade de resposta na área do ACES Oeste Norte, servindo os utentes deste concelho e do de Óbidos. O agrupamento integra os centros de saúde de Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Nazaré, Óbidos e Peniche, responsáveis pela prestação de cuidados primários a cerca de 200 mil utentes.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Direitos Reservados