Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Oeste: Estudo sobre o novo hospital regional atrasado devido a reclamações dos concorrentes

OesteCIM

O concurso público lançado pela OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste para a realização do ‘Estudo Sobre o Futuro da Política Pública de Saúde no Oeste’, que deverá indicar a futura localização de um novo hospital para a nossa região, sofreu um contratempo após terem sido apresentadas reclamações por alguns concorrentes.

Segundo explicou ao ALVORADA o presidente do Conselho Intermunicipal da OesteCIM, Pedro Folgado, “o júri está a analisar as reclamações para poder responder em conformidade e esperemos que não demore muito tempo e que consigamos avançar com este processo”. O autarca alenquerense está convencido de que este percalço no processo não irá atrasar muito o prazo para a apresentação do estudo, que se previa que pudesse ocorrer no final deste primeiro semestre. “Apesar de tudo, penso que vamos conseguir até ao Verão, mas, mesmo que não seja o estudo integral ou na totalidade, grande parte do estudo deverá estar concluído nessa altura”, acredita Pedro Folgado. O líder da OesteCIM considera ainda que “é importante que tenhamos parte do estudo” porque “temos que andar para a frente” com este processo. O Governo, através da ministra Ana Abrunhosa, já transmitiu aos autarcas oestinos que pretende uma resposta final até final do ano, sob pena de não de poder garantir financiamento público para esta obra regional.

Recorde-se que foi em Outubro do ano passado que a OesteCIM decidiu lançar o concurso público para a realização deste estudo, um ano depois da assinatura de um protocolo para a constituição de um grupo de trabalho para criar o novo Hospital do Oeste, numa cerimónia presidida pelo então secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos. O acordo envolve a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, OesteCIM e o CHO - Centro Hospitalar do Oeste. Este grupo de trabalho recolheu a informação para entregar aos consultores que vão elaborar o estudo final.

A localização final do Hospital do Oeste deverá ser conhecida após as eleições autárquicas. O Bombarral, devido à sua centralidade na região, posiciona-se na frente. O PDM - Plano Director Municipal, que esteve em consulta pública, prevê a construção do hospital, na zona do Falcão, com uma área de vários hectares junto ao Estádio Municipal e muito próxima do acesso à A8. “A proposta do PDM tem a abertura suficiente para acolher esse equipamento estruturante para a nossa região”, garante o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Fernandes, que tem vindo a defender esta opção junto dos colegas da OesteCIM.

O Conselho Intermunicipal da OesteCIM reúne esta tarde nos Paços do Município da Lourinhã, depois de um almoço oferecido pela Câmara Municipal aos autarcas, a convite do presidente João Duarte Carvalho, no âmbito da 12ª edição da Quinzena Gastronómica do Polvo que decorre no nosso concelho até domingo. Na ordem de trabalhos desta sessão extraordinária constam apenas três pontos. Para além da votação do Relatório de Gestão e Documentos de prestação de Contas de 2020, para ser posteriormente submetido a aprovação pela Assembleia Intermunicipal, os presidentes de câmara oestinos vão analisar os principais tópicos da Cimeira Social do Porto, promovida no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho Europeu, e, ainda, “outros assuntos de interesse regional”.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)