Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

BE defende criação de Unidade de Cuidados Intensivos nos hospitais públicos do Oeste

hospitalcaldasrainha

O Bloco de Esquerda recomendou ao Governo urgência na criação de uma Unidade de Cuidados Intensivos no CHO - Centro Hospitalar do Oeste, para garantir maior capacidade de resposta à pandemia de Covid-19 e eficiência dos recursos.

Num Projecto de Resolução apresentado na Assembleia da República, e hoje divulgado, os deputados do BE consideram “urgente que o Governo tome as diligências necessárias para garantir a constituição de uma Unidade de Cuidados Intensivos no Centro Hospitalar do Oeste”, para “aumentar a capacidade de resposta da região à pandemia e ao risco de surgimento de novas vagas, mas também para outras patologias”.

No documento, os deputados lembram que o CHO, formado pelos hospitais públicos das Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, serve uma população aproximada de 300 mil pessoas de vários concelhos que “passaram grandes dificuldades recentemente devido à ausência de Unidade de Cuidados Intensivos na região”.

No documento, os bloquistas citam a administração do CHO para sublinhar que, em Fevereiro de 2020, estava “em elaboração um projecto para criar uma Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), estando orçamentado um milhão de euros para esta finalidade”. O projecto justificava-se, segundo a administração, porque os três hospitais passariam a poder garantir algumas cirurgias e “reter doentes críticos que actualmente são transferidos” para outros hospitais, bem como para “criar diferenciação e reter profissionais”. Se em pré-pandemia “a necessidade de criar uma UCI no CHO era evidente, actualmente é uma urgência para responder aos riscos imprevisíveis da Covid-19 e a outras patologias”, sustenta o BE no Projecto de Resolução.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Sofia de Medeiros/ALVORADA (arquivo)