Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Câmara de Torres Vedras planta mais de 20 mil árvores autóctones em 15 hectares

Torres Vedras reflorestacao

A Câmara Municipal de Torres Vedras reconverteu 15 hectares de terrenos municipais incultos ou de eucaliptos com a plantação de mais de 20 mil árvores de espécies autóctones, segundo anunciou a edilidade. A autarquia desenvolveu o projecto de rearborização de propriedades municipais ‘Floresta nas Linhas 20.30’, que teve parecer favorável do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

A rearborização desenvolvida nas propriedades municipais tem como objectivo “aumentar a biodiversidade local, diversificar produtos, bens e serviços florestais, adaptar o ecossistema face às alterações climáticas, reduzir a perigosidade de incêndio, melhorar a qualidade do solo, reduzir o risco de erosão e criar espaços verdes naturalizados", explica o município em comunicado.

Em 2019, a autarquia lançou uma hasta pública para corte e extração de madeira de eucalipto para venda e preparou terrenos municipais para plantar árvores de espécies autóctones. O trabalho de reconversão nos 15 hectares terminou em Janeiro. Durante cerca de um mês, foram plantadas mais de 20 mil árvores de espécies como pinheiro-manso, sobreiro, medronheiro, carvalho-português, zambujeiro, alfarrobeira, azinheira, carvalho-alvarinho, amieiro, bétula, freixo e salgueiro. As plantações envolveram voluntários, entre os quais escuteiros do concelho, as equipas municipais de sapadores florestais e elementos do Gabinete Técnico Florestal da autarquia. Mais de 18 mil árvores foram cedidas por entidades privadas e públicas.

A sustentabilidade do projecto é assegurada pela produção de produtos com elevado valor comercial, como a pinha do pinheiro-manso, a cortiça do sobreiro, o medronho do medronheiro e a madeira resultante de eventuais desbastes.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: CMTV