Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Reserva Natural das Berlengas vai ter comissão de cogestão presidida pelo Município de Peniche

protocolo Reserva Berlengas

Foi hoje assinado o protocolo de cogestão da Reserva Natural das Berlengas entre o Município de Peniche e o ICNF - Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade. O passo foi dado hoje na Ilha da Berlenga na presença do secretário de Estado da Conservação da Natureza e das Florestas, João Paulo Catarino e do presidente da Câmara Municipal de Peniche, Henrique Bertino, acompanhado de representantes de diversas entidades públicas e autarcas penichenses. Até agora a gestão deste espaço natural, por integrar a rede nacional de parques e reservas da natureza, era exclusiva da Administração Central através do ICNF.

O acordo vai levar à criação de uma comissão de cogestão, presidida pelo município, com um mandato de quatro anos, permitindo a partilha de responsabilidades na gestão, assim como investimentos na conservação e melhoria deste espaço natural classificado. O Fundo Ambiental vai atribuir 100 mil euros para o funcionamento deste novo órgão de gestão, verba que vai permitir a contratação de um técnico superior.

Segundo João Paulo Catarino, este protocolo vai “fazer justiça com aqueles que todos estes anos, sem qualquer papel, têm colaborado com o ICNF na gestão, mas não participavam na gestão efectiva, e com este protocolo passam a participar". Para Henrique Bertino, representa “uma oportunidade para resolver os problemas" da reserva natural.

Para os próximos anos estão estimados investimentos a ordem dos três milhões de euros. As prioridades passam por concretizar as obras com vista ao tratamento de águas residuais e de resíduos sólidos na ilha, tornando-a autossustentável, depois de a EDP ter concluído neste Verão a instalação de painéis fotovoltaicos para a produção e fornecimento de eletricidade. Outros projectos previstos passam pela substituição da rede de distribuição de água, requalificação dos equipamentos municipais, dessalinização da água para abastecimento humano, melhoria e alargamento dos cais de acostagem de embarcações existentes na ilha e estabilização da arriba por cima da praia. explicou que são projetos com financiamento comunitário elegível.

Reportagem a próxima edição impressa do ALVORADA.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Sofia de Medeiros/ALVORADA