Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

COVID-19: Oeste regista mais 28 doentes em Caldas, Óbidos, Alenquer e Alcobaça

Covid 19 7

São mais 28 os novos casos activos registados na região Oeste nas últimas 24 horas, sem se ter registado a recuperação de nenhum doente. As novas infecções ocorreram em Caldas da Rainha (15), Óbidos (8), Alenquer (5) e Alcobaça (3). Há presentemente 240 doentes infectados e acompanhados pelas autoridades.

O boletim diário da OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste revela que se registaram até agora 496 casos da Covid-19 na região, sendo que 245 (inalterado) doentes recuperaram e 11 (inalterado) pessoas perderam a vida.

Assim, o relatório da situação epidemiológica da nossa região distribui assim os 240 doentes: Alenquer (88), Caldas da Rainha (50), Alcobaça (20), Peniche (16), Torres Vedras (15), Bombarral (13), Lourinhã (11), Óbidos (9), Sobral de Monte Agraço (6), Arruda dos Vinhos (6), Cadaval (4) e Nazaré (2).

Recordamos que as 12 Câmaras Municipais do Oeste assumem um tratamento diferente na divulgação pública da informação, algumas das quais, nesta fase, optam pelo silêncio, em contraste com outras que dão alguma ou quase toda a informação numérica sobre o evoluir da pandemia nos seus territórios. É a Autoridade de Saúde de cada concelho que informa a respectiva autarquia sobre o boletim diário epidemiológico. E é com esta informação que compilamos a notícia diária sobre a pandemia na nossa região, tendo ainda como fontes a OesteCIM - Comunidade Intermunicipal do Oeste e o CDOS - Centro de Operações de Socorro de Leiria que disponibiliza informação do ACES - Agrupamento dos Centros de Saúde Oeste Sul. O CDOS de Lisboa não fornece esta informação à comunicação social.

Quanto ao concelho da Lourinhã, continuam a existir 11 casos activos. Segundo o boletim do Controlo da Situação Epidemiológica, nas últimas 24 horas, continuava sem pessoas em vigilância passiva, estavam 33 (menos seis) pessoas em confinamento obrigatório/vigilância activa (seguidos pela Autoridade de Saúde), nove (inalterado) em vigilância sobreactiva (efectuada pelos Médicos de Medicina Geral e Familiar) e 42 (menos uma) em isolamento. Não havia ninguém a aguardar o resultado das análises laboratoriais e tinham sido emitidos 106 (mais sete) certificados de isolamento profiláctico. Até agora registaram-se no concelho 21 casos confirmados e 10 curados. Os dados são fornecidos à autarquia pela Delegada de Saúde da Lourinhã que não especifica a distribuição por freguesia dos casos positivos.

Em comunicado enviado ao ALVORADA, o Município de Torres Vedras informa que regista 15 (inalterado) casos activos que se encontram a ser acompanhados pelas autoridades de saúde. Foram, até ao momento, contabilizados 67 (inalterado) casos confirmados, dos quais 51 (inalterado) são doentes que estão recuperados. Desde que a pandemia chegou ao concelho, há, infelizmente, um óbito a lamentar. Os casos suspeitos são agora nove (mais dois) que se encontram a aguardar os resultados laboratoriais e 46 (menos seis) os contactos sob vigilância activa das autoridades de saúde. Os doentes têm residência nas freguesias de: Santa Maria, São Pedro e Matacães (4); União das Freguesias de A dos Cunhados e Maceira (2); União das Freguesias de Campelos e Outeiro da Cabeça (4); União das Freguesias de Dois Portos e Runa (3); Silveira (1); e Ventosa (1).

O concelho do Bombarral regista 13 (inalterado) casos activos. Há quatro doentes que recuperaram e o registo de um óbito. O CDOS de Leiria revela que há 10 (inalterado) pessoas em vigilância pelas autoridades. Foram registados até ao momento 18 casos do novo coronavírus.

A Câmara Municipal de Peniche, que reporta a situação epidemiológica, revela que tem 16 (inalterado) casos activos no concelho. Os doentes estão localizados nas freguesias de Peniche (11), Atouguia da Baleia (2) e Ferrel (3). Recorde-se que foi neste município que se registou o primeiro óbito na região Oeste. O número de pessoas em quarentena é de 116 (inalterado), há nove (inalterado) doentes que recuperaram. O CDOS de Leiria refere que estão 30 (menos cinco) pessoas em vigilância.

A Câmara Municipal de Alenquer informa que registou mais cinco casos activos no concelho. São agora 88 doentes infectados com o novo coronavírus, pelo que continua a ser, entre os municípios do Oeste, o que regista o valor mais alto. “Todos estes casos pertencem à União de Freguesias de Carregado e Cadafais, e contraíram a infecção em ambiente laboral, na cintura logística de um município vizinho”, destaca a autarquia.

O número de doentes recuperados é 74 (inalterado). Os doentes estão assim distribuídos pelo concelho: 60 na União de Freguesias de Carregado e Cadafais; cinco na Freguesia de Ventosa, cinco na Freguesia de Carnota, 11 na União de Freguesias de Abrigada e Cabanas de Torres, cinco na União de Freguesias de Alenquer, cinco na Freguesia de Carnota, três na Freguesia de Ota e quatro nas restantes freguesias do concelho. Já foram registados 162 casos e nenhum óbito.

O concelho do Cadaval regista quatro casos (inalterado) e 10 (inalterado) doentes recuperados. A contabilidade regista 14 casos confirmados desta pandemia.

O concelho de Alcobaça regista agora 20 (mais quatro) doentes infectados. Há 37 (inalterado) doentes recuperados e dois óbitos. O CDOS de Leiria revela que há 49 (menos uma) pessoas em vigilância pelas autoridades. O presidente da Câmara Municipal, Paulo Inácio, escreve no Facebook que “como se pode verificar, tem-se assistido nos últimos dias a um aumento expressivo em todo o Oeste”. “Estamos bem conscientes da importância da actividade económica e do desconfinamento para as nossas vidas, mas pela frente temos agora três grandes desafios: a mobilidade laboral das nossas empresas com a Grande Lisboa, a época balnear e a apanha sazonal da fruta. Se não formos eficazes, a pandemia chegará nova e inevitavelmente aos grupos mais afectados pela doença: os idosos e os utentes de lares. Assim sendo, no contexto de uma cidadania responsável, é exigível que, em caso de sintomatologia e consequente quarentena, esta seja escrupulosamente respeitada sem violação do necessário isolamento”, frisa o autarca. Ainda de acordo com o edil, “as nossas empresas, agrícolas e outras, quando partem para a contratação de pessoal sazonal, têm de ter a responsabilidade social de despistar esses trabalhadores e de lhes dar condições dignas de habitabilidade e de salubridade. A Câmara irá estar muito vigilante nessa matéria, em conjunto com as outras entidades responsáveis, com o objectivo de garantir as melhores condições para a realização da apanha da fruta”.

A Câmara Municipal da Nazaré, sobre a situação epidemiológica, refere que há dois (inalterado) casos activos. Na estatística registam-se dois óbitos e um recuperado. O CDOS Leiria refere que há quatro (inalterado) casos em vigilância pelas autoridades.

O concelho de Arruda dos Vinhos tem seis (inalterado) doentes infectados. A contabilidade regista um óbito e 11 (inalterado) doentes recuperados.

O concelho de Sobral de Monte Agraço continua com seis casos positivos. O boletim de hoje dá conta da recuperação de cinco doentes (inalterado), 59 (menos 36) pessoas em vigilância activa (confinamento obrigatório vigiado pela Autoridade de Saúde), 18 (inalterado) pessoas em vigilância sobreactiva (efectuada pelos médicos de Medicina Geral e Familiar) e 77 (menos 44) as pessoas em isolamento. Registaram-se até agora 11 casos.

A Câmara Municipal das Caldas da Rainha informa que, nas últimas 24h00, a situação epidemiológica regista 50 (mais 15) casos activos, o maior aumento de sempre. A edilidade não revela os dados pelas freguesias porque está impedida de o fazer pela Comissão Nacional de Protecção de Dados. A contabilidade regista um total de 84 casos confirmados, 31 (inalterado) recuperados e três óbitos (inalterado). O CDOS de Leiria revela que há 64 (mais uma) pessoas em vigilância pelas autoridades de saúde. Numa mensagem publicada no Facebook, o presidente da Câmara Municipal considera que“esta era uma situação esperada pois decorre de focos específicos, identificados, associados ao contexto profissional de pessoas do concelho que trabalham noutras localidades e, também, a pessoas de outros concelhos que desenvolvem a sua actividade cá”. Tinta Ferreira sublinha que “até ao momento, não estamos perante um cenário de transmissão comunitária e generalizada, como confirma nota oficial da autoridade de saúde que aqui transcrevemos: “Trata-se de um surto de trabalhadores migrantes que trabalham para uma empresa de Trabalho Temporário, ligada ao sector agrícola, com residência temporária nos concelhos de Caldas da Rainha e Óbidos, não tendo qualquer relação com transmissão comunitária nestes dois concelhos”. “Estes trabalhadores estão identificados, em devido confinamento, e estão a ser assistidos pelas autoridades de saúde pública e de segurança, cujo trabalho nunca é demais enaltecer e agradecer”, frisa ainda o autarca.

O concelho de Óbidos tem confirmado um doente infectado, de acordo com a informação da OesteCIM. Registou-se a recuperação, até agora, de duas pessoas. O CDOS de Leiria revela que há oito (mais uma) pessoas em vigilância pelas autoridades de saúde. Contudo, o presidente da Câmara Municipal, Humberto Marques, emitiu um comunicado onde revela que há oito novos casos de trabalhadores temporários na agricultura alojadas no concelho, cujo contágio ter-se-á dado num concelho vizinho (Caldas da Rainha). Para o autarca “é injusto que digam que Óbidos tem oito casos positivos de COVID-19, quando, na verdade, não tem”. Humberto Marques explica que “a contabilização de casos positivos é feita no local onde a doença foi contraída e, neste caso, foi num outro concelho”. “Não estamos aqui numa competição entre concelhos e muito menos numa luta para ver quem tem mais ou menos casos, mas não é justo atribuir a Óbidos casos positivos que não tem”, desabafa o autarca. As pessoas infectadas são migrantes que trabalham para uma empresa de trabalho temporário, sediada no concelho de Caldas da Rainha, ligada ao setor da agricultura, que tem residências temporárias nos concelhos de Caldas da Rainha e Óbidos, não havendo, contudo, “qualquer relação com transmissão comunitária nestes dois concelhos”, segundo as autoridades de saúde. Todos os oito trabalhadores “encontram-se assintomáticos, em regime de quarentena com vigilância activa por parte da autoridade de saúde e monitorizados pela GNR de Óbidos”.

A fase de mitigação da pandemia do Covid-19 que está em vigor corresponde ao nível de alerta e de resposta mais elevado, segundo o Plano Nacional de Preparação e Resposta da Direcção-Geral da Saúde. Esta fase é activada quando as cadeias de transmissão estão estabelecidas no país, tratando-se de uma situação de epidemia activa.

Texto: ALVORADA