Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

COVID-19: Caldas Rainha reabre ‘Praça da Fruta’ no pavilhão da Expoeste

Expoeste

Suspensa desde 16 de Março devido à crise pandémica causada pela Covid-19 , a Praça das Caldas irá funcionar provisoriamente, a partir de amanhã, no Pavilhão da Expoeste, todos os dias da semana, entre as 8h00 e as 15H30. Num investimento de 30 mil euros aplicados na preparação do espaço, a Câmara Municipal anunciou esta tarde a decisão e prometeu que serão aplicadas “rigorosas regras sanitárias e de protecção para que esteja garantida a segurança de quem compra e quem vende”.

Em comunicado enviado ao ALVORADA, a autarquia preparou esta solução “para continuar a manter o mercado vivo, apoiando produtores e vendedores locais a escoar os seus produtos, bem como garantir o acesso dos caldenses às frutas, legumes e outros alimentos que ali são comercializados”.

Esta decisão foi acolhida pelos cerca de 100 vendedores habituais do mercado que tradicionalmente decorre na Praça da Fruta, no centro da cidade, sendo que nem todos estarão presentes diariamente. A autarquia estima que a média diária será de 40 a 70 vendedores. As bancas serão as mesmas mas com dois metros de distância entre elas. Os corredores, com seis metros de largura, assegurarão “uma circulação desafogada e segura”. Os produtos expostos para venda estarão protegidos por uma película.

A edilidade caldense informa que fornecerá aos vendedores um ‘kit’ de protecção com máscara, luvas e gel desinfectante e os clientes também deverão usar máscara. Para evitar que as pessoas coloquem os sacos no chão também estarão disponíveis no local carrinhos de compras.

Para uma fase posterior, o Município das Caldas da Rainha está a preparar ainda uma plataforma de venda ‘online’ dos produtos comercializados nesta ‘praça’ com entrega ao domicílio. A autarquia recorda que, no início desta semana, a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, já tinha referido a importância económica da reabertura dos mercados.

“Numa fase em que é fundamental continuar a cumprir as recomendações de distanciamento social e de recolhimento domiciliário, é preciso ‘gerir’ esta situação pandémica com rigor, mas também com estratégias graduais de normalização e retoma social e económica”, conclui o comunicado da autarquia caldense.

Texto: ALVORADA
Fotografia: CMCR