Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

COVID-19: fechada a pescaria do percebe na Reserva Natural das Berlengas a pedido dos mariscadores

Berlengas

Os mariscadores de percebe da Reserva Natural das Berlengas pediram o fecho da pescaria por tempo indeterminado devido à pandemia e a Direcção-Geral de Recursos Marítimos vai emitir despacho nesse sentido. "Apesar da época de defeso obrigatório terminar no fim de Março, os mariscadores pediram, por iniciativa própria e devido a questões comerciais e de saúde pública, a implementação de uma moratória, visando o fecho da pescaria na Reserva Natural das Berlengas", refere uma nota de imprensa subscrita pelas entidades envolvidas no projecto de gestão sustentável do percebe.

A Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Recursos Marítimos (DGRM) "elaborou um despacho" nesse sentido, o qual aguarda publicação, acrescenta a mesma nota enviada à agência Lusa. "A decisão de fechar a apanha será benéfica não só em termos de saúde pública, mas também para o próprio recurso, que terá mais tempo para recuperar da exploração anterior", é explicado. No fim da moratória, os mariscadores irão ter "maior disponibilidade de percebe de maiores dimensões" e um "valor comercial mais elevado", acrescenta.

A Reserva Natural das Berlengas possui 40 mariscadores licenciados para a apanha do percebe e que integram o ‘Co-Pesca 2', projecto para a gestão sustentável da pescaria apoiado pelo programa comunitário MAR2020. O projecto, que se iniciou em 2018, é liderado pelo Centro de Ciências do Mar e do Ambiente do Instituto Politécnico de Leiria (MARE-Politécnico de Leiria), integrando a Associação Natureza Portugal, o Centro de Ciências do Mar e do Ambiente da Universidade de Évora (MARE-UÉvora) e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

A DGRM, a Unidade de Controlo Costeiro da GNR, o Município de Peniche, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a Plataforma de Organizações não Governamentais pela Pesca (PONG-Pesca), a Associação Local Arméria, a Docapesca e a Capitania do Porto de Peniche fazem parte das entidades que têm contribuído de forma activa para uma gestão mais sustentável do percebe da Reserva Natural das Berlengas.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA (arquivo)