Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Lourinhã está a acolher projecto de recolha de histórias sobre o uso da cal no concelho

sessaoprojectocaldr

A utilização da cal no nosso concelho está na base do projecto ‘Caixinha da Memória’ que está a ser desenvolvido no âmbito de uma parceria constituída pelo Município da Lourinhã, aspirante Geoparque Oeste e Centro de Estudos Históricos da Lourinhã, em conjunto com a Universidade Lusófona e o Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Este projecto inclui o desenvolvimento de uma plataforma que vai permitir à comunidade compartilhar as memórias e histórias sobre a utilização da cal ao longo dos tempos.

Segundo um comunicado do aspirante Geoparque Oeste enviado ao ALVORADA a ‘Caixinha da Memória’ tem por objectivo enriquecer o património cultural e natural local ao comungar de forma partilhada as memórias da população em relação à extração e uso da cal no nosso concelho, que sem esse registo serão porventura perdidos para sempre.

Desde o passado dia 14, que todos os interessados podem contribuir com relatos através de uma aplicação informática desenvolvida no âmbito do Projecto Europeu Dariah.eu. “Essa aplicação visa contribuir para recolher e resgatar a memória da população da Lourinhã. Com a ajuda desta aplicação, todos podem partilhar as suas histórias, memórias e vivencias em relação aos sítios e factos importantes da história da cal na comunidade”, explica a instituição. Para tal, basta descarregar a aplicação ‘dariah.eu’ e fazer o ‘login’. Após este passo, todos os interessados poderão partilhar textos, imagens, vídeos e arquivos de voz.

Nesta fase do projecto estão disponíveis cinco sítios importantes na história local da cal: centro de interpretação da pedra do Planalto das Cesaredas (Junta Freguesia Reguengo Grande), fornos da cal em Reguengo Grande e em São Bartolomeu dos Galegos, prédios caiados (Forte de Paimogo e a Igreja do Castelo), o Museu da Lourinhã (com ferramentas, pessoas e materiais no trabalho da cal e argila) e o forno de cal em Ventosa, onde será o futuro centro de interpretação.

Entre os dias 10 e 12 de Outubro, a Lourinhã acolhe um grupo internacional de investigadores para discutir e analisar o potencial das memórias e das narrativas locais para preservar e incrementar o património histórico e natural para a preservação do património do concelho. A Mesa-Redonda Internacional de Narrativas e Criação de Lugares (Storytelling & Placemaking in Lourinhã), que funciona como uma oficina internacional, é organizada pelo Grupo de Trabalho Práticas Digitais para o Estudo do Património Urbano (UDigiSH) do Dariah.eu (https://www.dariah.eu) em conjunto com o projecto europeu ‘Dynamics of Placemaking’ (https://www.placemakingdynamics.eu).

A recolha de memórias da população culminará com uma mesa-redonda no Salão Nobre dos Paços do Município, amamhã, dia 11, às 16h00. Nesta sessão serão debatidos os resultados preliminares do resgate dos depoimentos compartilhados na ‘Caixinha da Memória’. Está aberto a todos os interessados e será em formato híbrido (presencial e virtual), mediante inscrição prévia.

Texto: ALVORADA
Fotografia: Direitos Reservados