Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Museu da Lourinhã revela novos achados de dinossauros carnívoros e herbívoros

Escavacao dinossauro lourinha 2021

As escavações de Verão do Museu da Lourinhã no nosso concelho permitiram descobrir várias jazidas com ossos de crocodilo, tartarugas, dinossauros carnívoros, estegossauros e um grande dinossauro saurópode. Em comunicado enviado ao ALVORADA, a instituição revela que a maioria dos ossos estão ainda envoltos em rocha dura, o que demorará meses a ser preparado no laboratório do Museu da Lourinhã, lançando o convite para os voluntários que queiram ajudar nos trabalhos de preparação laboratorial.

Entre os vários achados está um pé de dinossauro carnívoro quase completo e muito bem conservado que deixa os paleontólogos esperançados em conseguir dizer qual a espécie e mais sobre a locomoção destes dinossauros portugueses. Ainda falta o estudo e ainda não se sabe de que espécie se trata, mas, a julgar pela qualidade de preservação e características anatómicas, "é desde já certo que o material de dinossauro carnívoro é de importância mundial. Esta é mais uma oportunidade para novas teses e estudos para os nossos estudantes do mestrado em paleontologia na Universidade Nova de Lisboa" destaca o paleontólogo lourinhanense Octávio Mateus, professor na universidade lisboeta e investigador do Museu da Lourinhã.

Ainda segundo o Museu da Lourinhã, o aspecto mais preocupante são os sinais de pilhagens de jazidas feitas por pessoas sem autorização e claramente sem qualificação que partem os ossos. "É urgente! Estamos preocupados por haver material de elevada importância científica que vai parar a mãos privadas", alerta Octávio Mateus.

As escavações de Verão do Museu da Lourinhã contam com a colaboração da Universidade Nova de Lisboa e com o apoio do Dinoparque da Lourinhã.

Texto: ALVORADA
Fotografia: GEAL